Compartilhe este texto

Em Marcha para Jesus, Bolsonaro repete a evangélicos que só Deus o tira do Planalto

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

21/05/2022 15h34 — em
Política



CURITIBA, PR, E RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Em um breve discurso recheado de citações religiosas, o presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a dizer neste sábado (21) que só Deus o tiraria do cargo, durante participação do evento Marcha para Jesus, em Curitiba.

"O Brasil é uma referência para o globo todo. É um país que tem vocação para o futuro sem se descuidar do presente. Nós juntos, com fé atingiremos os nossos objetivos. É uma missão que eu tenho e só Deus me tira daquela cadeira", afirmou.

O presidente passou a manhã no evento, a maior parte do tempo em cima de um carro de som, mas com breves descidas para cumprimentar os presentes na rua. Na noite anterior, havia jantado com o governador Ratinho Jr. (PSD) em uma pizzaria na cidade.

A visita a Curitiba começou logo após encontro com o bilionário americano Elon Musk, em Porto Feliz (SP), no qual o governo anunciou acordos para instalação de internet em comunidades isoladas e para monitoramento da Amazônia.

Apesar da grande repercussão do encontro entre seus apoiadores, Bolsonaro não fez menção ao tema em seu discurso deste sábado. Ele repetiu frases que vem reforçando em suas viagens, como "a liberdade é mais importante do que a própria vida" e fez críticas veladas ao STF (Supremo Tribunal Federal).

"Somos democratas, respeitamos a nossa Constituição e é um dever meu como chefe do executivo fazer com que todo aquele que esteja fora das quatro linhas da nossa Constituição venha para dentro da mesa", afirmou.

No evento, esteve acompanhado do líder do governo no Congresso, o deputado federal Ricardo Barros, e de lideranças religiosas, como o pastor Silas Malafaia.

"A nossa fé é inabalável", afirmou. "Não há diferença entre nós. O nosso currículo no dia do ponto [sic] final será aquilo que fizemos nessa breve passagem pelo planeta Terra."



O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Política

+ Política