Doria acusa Leite de estar reclamando e chorando sobre suspeita em prévias do PSDB

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

27/10/2021 10h07 — em Política

DUBAI, EMIRADOS ÁRABES UNIDOS (FOLHAPRAPRESS) - O governador de São Paulo, João Doria, acusou seu adversário nas prévias para a indicação presidencial do PSDB de estar "chorando e reclamando" acerca de supostas filiações irregulares de 92 prefeitos e vice-prefeitos paulistas.

Sem citar o nome do rival, o governador Eduardo Leite (RS), Doria descartou em Dubai (Emirados Árabes Unidos) a hipótese de rever as filiações.

"De forma alguma. Eleição não se ganha no grito, se ganha no voto. Vamos à votação", disse Doria nesta quarta-feira (27), na primeira manifestação direta sobre a polêmica.

Em nota, o presidente do PSDB, Bruno Araújo, afirmou que caberá à comissão de prévias do partido decidir, caso a caso, se os 92 os filiados sob suspeita poderão votar ou não. Essa decisão ainda será submetida à executiva nacional do partido nesta quinta (28). As prévias estão marcadas para 21 de novembro.

Com isso, fica afastada de Doria a acusação de irregularidade sugerida por aliados de Leite, numa possível solução salomônica sobre a questão -no caso da inabilitação dos 92 eleitores.

"Por que ter medo do voto? Em vez de ficar reclamando, chorando, acusando, estamos trabalhando. Prefiro assim", afirmou, dizendo que não pode haver uma "mancha no processo democrático".

A pressão pela revisão cresceu com o surgimento de comprovações, como as recolhidas pela Folha no fim de semana, de que prefeitos podem ter tidos suas datas de filiação alteradas, presumivelmente para serem elegíveis a votar nas prévias -o limite era 31 de maio.

Os 92 nomes integram o colégio de 365 prefeitos e vices no estado, mais de um terço do total nacional. Seus votos têm 25% do peso na contagem final das prévias.

A questão foi apresentada por quatro diretórios tucanos alinhados a Leite: Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Bahia e Ceará. O PSDB paulista nega quaisquer irregularidades.

"As denúncias foram apresentadas pormembros da campanha de Leite, grupo portanto diretamente interessado no pleito. Elas não reúnem nenhuma base fática ou jurídica", afirmaram os paulistas, em nota.

O texto, assinado por Marco Vinholi, presidente estadual do partido e secretário de Desenvolvimento Regional de Doria, afirma que "não existe ilegalidade em eventuais descasamentos entre as datas de filiações".

Segundo ele, "os registros no 'filia' [do Tribunal Superior Eleitoral] seguem o prazo de submissão das listas. O esclarecimento apresentou mais de 70 casos recentes de filiações no partido".

"Os eventos festivos, da mesma forma, são realizados de acordo com a conveniência política", diz o texto, coassinado por dois advogados e pelo presidente do diretório paulistano da sigla, Fernando Alfredo.

O governador também negou decisão "no tapetão". O tucano afirmou que as defeções que sofreu em cidades como São José dos Campos como "do jogo". "Nós também tivemos conquistas no Rio Grande do Sul e em Minas, mas não ficamos batendo bumbo".

Doria disse que "nunca contestou" prévias e queixou-se do que chamou de fake news sobre a suposta decisão do presidente do PSDB, Bruno Araújo, de suspender as filiações.

Ambos estão em Dubai, em uma missão empresarial do governo paulista aos Emirados Árabes Unidos. Doria disse que não falou com o presidente tucano sobre o tema.

Araújo, que é advogado com atuação em Dubai há anos, integra a comitiva organizada pela InvestSP, agência de promoção comercial paulista.

Ele não participou de evento da missão nesta quarta. O governador paulista disse que o respeita, mas que o assunto deve ser tratado por Vinholi.

No domingo (24), Araújo havia chamado as denúncias de "sensíveis" e defendeu sua apuração.

O jornalista Igor Gielow viaja a convite da InvestSP


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

+ Política