Rigidez nas leis ambientais de proteção permanente ao pirarucu

Por

01/07/2014 17h19 — em

O deputado estadual Orlando Cidade  utilizou o Pequeno Expediente da Assembleia Legislativa do Amazonas, desta terça-feira, para criticar a rigidez das leis ambientais que colocam o pirarucu em estado de defeso permanente.

Citando episódio vivenciado por ele durante visita ao município de Manacapuru onde um feirante foi preso durante uma operação do Batalhão Ambiental na Feira da Liberdade, o deputado definiu a lei como “injusta”.

“Por causa de apenas 5 kg de pirarucu, um feirante foi preso em flagrante. Uma lei exagerada, que coloca o pirarucu em defeso permanente com exceção às áreas manejadas – mesmo não se tratando de um peixe em extinção - e aplicada  por um Batalhão Ambiental criado em um momento de repreensão”, afirmou, acrescentando que vai fazer um projeto de Lei, colocando o peixe em defeso temporário, apenas para o momento de reprodução.

Plano Real

O parlamentar lembrou, ainda, a passagem dos 20 anos do Plano Real, que passou a vigorar em junho de 1994. “Este plano acabou com a hiperinflação que perdurava 50 anos no nosso país, resgatando o País de uma inflação de 80% e estabilizou a economia brasileira”, recordou, reconhecendo que, ainda assim, a situação econômica do País merece atenção por conta da alta da inflação e da queda do Produto Interno Bruto no mês de maio passado.


 

+