Proteção ao bioma amazônico está equivocado, diz deputado

Por Portal do Holanda

17/11/2015 13h09 — em

O deputado Luiz Castro (Rede) se contrapôs à tese de internacionalização da Amazônia, durante participação no congresso internacional que discutiu o tema “Meio ambiente, participação e responsabilidade”, em Castelgandolfo, na Itália. “A idéia de proteger o bioma amazônico e esquecer as sofridas populações que nela habitam, significa um intervencionismo equivocado sobre a soberania dos países da região”, argumentou o deputado.

Falando aos representantes de 21 países, Luiz Castro contextualizou de modo específico o Amazonas e o uso racional das potencialidades da sua biodiversidade, como alternativa à falta de melhores oportunidades para as populações interioranas, em face da pobreza e do isolamento em que vivem dentro da floresta. “É preciso que haja um cuidado comum sobre a Amazônia, com apoio da ciência e da pesquisa para a conservação da floresta e do restante da biodiversidade, sem a perda da sua soberania”, defendeu o deputado, opondo-se a um dos palestrantes que abordou a internacionalização da região. Luiz Castro afirmou que é preciso haver reconhecimento internacional dos serviços ambientais que as populações da floresta prestam ao Brasil, à América do Sul e ao resto do mundo, no seu contributo para o equilíbrio climático em geral e, de modo mais específico, para as chuvas que irrigam grande parte do continente sul americano.

A desembargadora Socorro Guedes, do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), coordenadora do Movimento Direito e Fraternidade no Estado, também participou do congresso, promovido pelo Movimento dos Focolares.

+