Importância econômica da prorrogação da ZFM para o Amazonas

Por

05/06/2014 16h18 — em

Nesta quinta-feira na Assembleia Legislativa do Amazonas, o deputado estadual Marcos Rotta destacou a importância econômica para o Amazonas, com a  prorrogação da Zona Franca de Manaus por mais 50 anos. A votação ocorreu na quarta-feira na Câmara dos Deputados, em Brasília.

“É um dia histórico, porque nós teremos mais 50 anos de incentivos, de geração de emprego e renda, de atrativos para a instalação de novas empresas no Polo Industrial de Manaus. Ao mesmo tempo, tivemos por parte dos parlamentares federais deputados um conhecimento mais aprofundado a respeito do Polo, da necessidade de preservação desse modelo. Ontem, por exemplo, durante a votação, líderes de vários estados brasileiros fizeram questão de subir à tribuna para enaltecer a importância do Polo Industrial na geração de mais de 120 mil empregos. É um modelo que deu certo para o Brasil e preserva mais de 98% da nossa floresta”, disse o peemedebista.

Com a bancada amazonense conseguindo amplo apoio entre a base aliada, a emenda foi votada nominalmente e aprovada com 366 votos favoráveis, quase uma unanimidade considerando o quórum de 371 parlamentares presentes. Dois parlamentares foram contra a proposta e três se abstiveram.

Marcos Rotta destacou também a atuação da liderança do governo, pelo senador Eduardo Braga. “O senador Eduardo Braga foi, sem dúvida, um gigante diante desse processo. Ele se dedicou, fazendo visitas à gabinetes, reunindo com os ministros, como o da Fazenda, o da Casa Civil, o presidente Henrique Eduardo Alves, que é do mesmo partido do senador, para conseguir essa vitória amazonense. Nós precisamos também reconhecer no Amazonas, a importância e a dedicação do presidente da câmara dos deputados, porque é o presidente que coloca as matérias em votação. Foi uma grande conquista para o nosso Estado”, afirmou Rotta.

O deputado disse ainda que não se pode condenar parlamentares de outros estados que lutaram pela Lei de Informática. “Parlamentares de estados como São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná, por exemplo, estavam travando uma luta para melhorias e conquistas na prorrogação da Lei de Informática e das áreas de livre comércio para os seus estados. Eles foram eleitos para representar os seus estados, então, o que fizeram foi pegar uma carona na prorrogação da PEC da Zona Franca de Manaus”, afirmou.

A Constituição atualmente prevê a concessão de benefícios até 2023. A matéria ainda será levada ao Senado para votação e, se for aprovada, estenderá esse prazo até 2073. “Já há uma espécie de convergência por parte dos senadores sobre a votação urgente e não tenho dúvida de que no Senado, o trâmite desse processo será mais rápido para que, enfim, tenhamos a garantia da prorrogação do Polo Industrial de Manaus por mais 50 anos”, concluiu Rotta.

+