Aprovação da lei dos 59 anos para os militares é defendida

Por

17/06/2014 13h51 — em

O presidente da Comissão de Segurança Pública da Aleam ), deputado Alcimar Maciel (PR), espera pelo parecer favorável das Comissões Técnicas para colocar em votação a lei complementar da aposentadoria compulsória aos 59 anos de serviço. Maciel lembra que existem hoje 80 policiais, na reserva, ameaçados de serem despromovidos, e uma grande quantidade de policiais que já estão completando idade para a compulsória.

O deputado Alcimar Maciel disse que, na época, a PM alterou na Lei de Ingresso, elevando para 28 anos o limite máximo para ingressar na corporação, mas não alterou a compulsória do Policial Militar. “A lei complementar vem fazer reparos a esses 80 policiais, que estão ameaçados, e vem garantir aos que vão para a reserva continuar ganhando por cada ano um dia, uma vez que essa Lei da compulsória passará a idade limite de soldado a coronel, para 59 anos de serviço”, disse.

Segundo Alcimar Maciel, hoje a idade limite para o cabo da PM ir para a reserva é 51 anos. “Se ele entra com 28 e completa 51 está com 23 anos na polícia. Se vai para a compulsória, ele vai ganhando apenas 23 dias no mês, sem ter direito a promoções”.

 

+