Viúva e filha de coronel da PM forjaram roubo de armas em Manaus

Por Portal do Holanda

28/10/2020 13h08 — em Policial

Foto: Divulgação

Manaus/AM - A Polícia Civil conseguir desvendar o caso do suposto roubo de 108 armas de dentro da casa do coronel da Polícia Militar Fernando Valente, falecido desde de 2018. De acordo como delegado Cícero Túlio, o roubo foi forjado pela própria esposa do militar com a ajuda da filha e da companheira dela, na casa onde moravam no bairro Parque 10. Túlio explica que o assalto foi planejado pelas mulheres com intuito de encobrir a venda do arsenal feita pela viúva no mesmo ano em que o coronel morreu.

Parte do armamento já foi recuperado. O arsenal assim como outros bens estavam em processo judicial referente a herança e partilha entre herdeiros, porém, sem a devida autorização, a mulher realizou a venda. Com resultado final do inventário, a mulher teria que entregar as armas, mas como não as tinha mais decidiu simular o assalto para escapar da penalidade.

A polícia começou a desconfiar da versão e estranhou a família ter registrado o crime mais de 12h depois do ocorrido, assim como pelo fato de apenas o carro usado pelos supostos criminosos ter sido incinerado e o delas ter sido encontrado rapidamente, intacto, assim como os telefones roubados.

No decorrer das investigações, os agentes descobriram que elas haviam combinado tudo por meio de mensagens e interceptações telefônicas revelaram que elas usaram aplicativos espiões para evitar serem pegas, assim como apagaram as mensagens que poderiam incriminá-las. Além disso, a PC apurou que todas as armas foram vendidas para atiradores registrados que acreditaram está adquirindo um produto legítimo.

Em alguns casos, a viúva ainda teria aplicado golpes vendendo a mesma arma para várias pessoas diferentes que nunca receberam o material. Alguns atiradores foram rastreados e convocados a comparecer a delegacia, eles compararam a legalidade da compra por meio de documentos.

A partir de agora, o delegado convoca quem mais tiver adquirido armas com a mulher a se apresentar para prestar esclarecimentos. Quem não comparecer poderá ser autuado por receptação de armamento roubado e até perder o registro profissional de atirador.

Já a mulher, a filha e nora serão autuadas por falsa comunicação de crime, fraude processual, associação criminosa e falsidade ideológica. As pessoas que ajudaram no falso roubo também estão na mira da polícia e podem ser presas a qualquer momento.