Instrutor é acusado de ejacular em aluna durante aula de direção em Manaus

Por Portal do Holanda

29/10/2020 18h19 — em Policial

Autoescola Peniel - Foto: Reprodução / Google Maps

Manaus/AM - Uma psicóloga de 29 anos denunciou o seu instrutor de autoescola por importunação sexual. De acordo com a vítima, o homem teria ejaculado nela durante a aula prática de moto. O caso aconteceu na última terça-feira (27), no bairro Jorge Teixeira.

Segundo a vítima, ela conhecia o instrutor da igreja que ambos frequentam e ele ofereceu um pacote com desconto para que ela tirasse a habilitação onde ele trabalha. A psicóloga relatou que era o seu último dia de aula prática (até então nada fora do normal havia ocorrido), quando o suspeito resolveu levá-la para para a Avenida do Turismo, onde segundo ele, é onde costuma levar os alunos para treinar o percurso de moto. 

Durante o trajeto, ela sentiu que o homem se aproximava cada vez mais e ele não parava, mesmo ela pedindo para que ele se afastasse. Em determinado momento, ela sentiu a sua calça molhada, foi quando parou imediatamente e entregou as chaves para ele. Incrédula, a jovem apenas dizia que não acreditava que ele havia feito isso: "eu não acredito que você fez isso… Olha a minha calça, você ejaculou em mim". O instrutor, segundo ela, negou a princípio, disse que era coisa da cabeça dela. Mas, após chegar em casa, ela foi bombardeada com pedidos de desculpas e a confissão.

"Ele disse que estava com problemas com a mulher, que era doente… Pedia pra eu não denunciar, pra eu abençoar ele", disse ela. 

O homem chegou até a oferecer aulas extras gratuitas e prometeu "facilitar" a retirada da CNH da jovem: "Ele ligava para o meu marido para pedir desculpas, me ligou e disse que tinha alguém, que ele facilitaria, me daria a carteira de motociclista", disse a vítima. 

Após registrar o Boletim de Ocorrência no 20º DIP, ela entregou a calça com a evidência do crime para perícia e foi até a autoescola, pedir para que não tivesse mais aulas com o instrutor, porém, foi recebida com rispidez pelo dono do local: "ele já chegou me atacando, perguntando se eu tinha provas, se eu tinha falado com o meu pastor, que o instrutor tinha uma família". Além disso, ela disse que ela a ameaçou, disse que o nome dela não constava na lista de alunos e que se denunciasse a autoescola, ela é quem iria ter que indenizá-los.

A autoescola Peniel afirma que aguarda audiência, marcada para o dia 5, para tomar as devidas providências.

Boletim de ocorrência registrado pela vítima - Foto: Arquivo pessoal

Protocolo de Matrícula da vítima - Foto: Arquivo Pessoal

A autoescola Peniel informou que “a denunciante (identificada na reportagem como sendo uma psicóloga de 29 anos) não é aluna desta autoescola, não possui nenhum contrato com esta autoescola e não realizou qualquer pagamento para esta autoescola; conquanto o denunciado seja funcionário desta autoescola, sua atividade com a denunciante não tem qualquer relação com as atividades desta autoescola, não se utilizava motocicleta desta autoescola, não estavam no local de treinamento destinado ao ensino da prática de dirigir que é no Centro de Treinamento do Detran-AM, no Bairro Santa Etelvina, e não na Avenida do Turismo, onde ocorreu o fato. Esclarece que não é verdadeira a assertiva de que a denunciante tenha sido tratada com rispidez, posto que, de pronto se constatou não ter a denunciante vínculo contratual com esta empresa, tendo o fato ocorrido na esfera pessoal do funcionário. A autoescola Peniel possui fortes princípios morais e éticos decorrentes da formação religiosa de seus proprietários, razão pela qual repele com veemência a indevida vinculação do nome desta empresa com a acusação formulada”.