Mulher que teria participado de "esquema" para libertar o filho não será punida

Por

12/04/2012 17h08 — em Amazonas

A doméstica Maria da Conceição Theodósio, mãe de Jerry Adriano, apontada pela Justiça como a possível responsável pela falsificação dos alvarás em nome da juíza Margareth Rose Cruz Hoagen, da 4ª Vara Criminal, não poderá ser punida criminalmente.
 


Maria Theodósio também é apontada como a responsável pela entrega dos alvarás no Centro de Detenção Provisória de Manaus, localizado no quilômetro 8 da BR 174 (Manaus/Boa Vista). Ela teria se passado por um oficial de Justiça para conseguir liberar o filho e Miguel Vicente, no sábado, dia 7.
 
Comprovada a participação dela, de acordo com o desembargador Domingos Jorge Chalub, a mãe de Jerry Adriano  não sofrerá nenhuma punição penal.

“Se ela fez isso em benefício do filho dela, a legislação protege. Favorecimento real e pessoal, o benefício na linha direta do filho e do irmão, não tem punições penais, tem outras punições”, explicou o desembargador, informando duas punições:  restrições a cidadania dela e não poder mais freqüentar o presídio.
 

NULL