IMPROBIDADE: Escândalo do "garajão" pode custar o curriculo de Breval

Por

04/04/2012 0h15 — em Amazonas

O ex-diretor da ManausPrev, Sandro Breval , responde a ação por improbidade administrativa pelo aluguel  do  Edifício Garagem Jorge Teixeira à Park Star ,  e devolução à  empresa de R$ 334 mil dados como garantia prevista no contrato. A Park Star  Ltda   nunca efetuou o pagamento de qualquer parcela do imóvel alugado.

 

Manaus - A locação do Edifício Garagem Jorge Teixeira, "Garajão", localizado na rua Floriano Peixoto, Centro em Manaus,  à empresa Park Star Estacionamento do Amazonas Ltda, no valor global de R$ 6 milhões e 669 mil, rendeu ao ex-presidente da Manausprev, Sandro Breval Santiago e dois diretores do órgão, Mario Jorge Monteiro Novaes e Antônio José Guerreiro da Silva, uma ação civil pública por crime de improbidade administrativa que tramita na 1ª Vara da Fazenda Pública Municipal.
 
Breval  alugou em 2008  o Edifício Garagem Jorge Teixeira à Park Star Estacionamento do Amazonas Ltda, no valor global de R$ 6 milhões e 669 mil, pela vigência de 120 meses. A empresa vencedora  depositou R$ 334 mil, como garantia prevista no contrato,mas a Park Star Estacionamento do Amazonas Ltda   nunca efetuou o pagamento de qualquer parcela do imóvel alugado. Mesmo assim a Manausprev, além de deixar de  executar a garantia contratual,  restituiu os  RS 334.000,00    à empresa, o que indica, segundo o Ministério Público, improbidade administrativa.  

Para justificar o não pagamento, a empresa alegou baixa demanda de estacionamento no local.
 
A inadimplência acabou em um ajuizamento de Ação de Cobrança na Vara da Fazenda Pública Municipal em 16 de julho de 2010, referente ao valor atualizado do contrato, na razão de R$ 1 milhão e 640 mil.
 

NULL