Compartilhe este texto

Mauro Vieira convoca embaixador de Israel e fala de desconforto do governo em meio a crise

Por Folha de São Paulo

19/02/2024 20h30 — em
Mundo



BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O ministro Mauro Vieira (Relações Exteriores) se reuniu nesta segunda-feira (19) com o embaixador de Israel no Brasil, Daniel Zonshine, no Rio de Janeiro. O encontro foi convocado pelo próprio chanceler.

Trata-se de um ato diplomático que demonstra insatisfação do governo com Israel. Além disso, o embaixador brasileiro em Tel Aviv, Frederico Meyer, embarca para o Brasil nesta terça (20). Ele foi chamado para consultas também pelo chanceler, conforme antecipou a coluna Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo.

Segundo relatos de interlocutores, a conversa foi breve e direta. O ministro demonstrou a surpresa e o desconforto do Brasil pelo tratamento dado pelo governo de Binyamin Netanyahu a Meyer em Israel.

O brasileiro, por sua vez, também foi chamado pela chancelaria israelense, o que é considerado um alerta diplomático, mas comum. O encontro, contudo, ocorreu no Museu do Holocausto e o chanceler israelense, Israel Katz, chamou Lula de "persona non grata", em hebraico, durante coletiva de imprensa ao lado de Meyer. O gesto foi descrito por diplomatas como um "show" e uma forma de humilhá-lo.

"Diante da gravidade das declarações desta manhã do governo de Israel, o ministro Mauro Vieira, que está no Rio de Janeiro para a reunião do G20, convocou o embaixador israelense Daniel Zonshine para que compareça hoje [segunda] ao Palácio Itamaraty, no Rio. E chamou para consultas o embaixador brasileiro em Tel Aviv, Frederico Meyer, que embarca para o Brasil amanhã [terça]", disse o Itamaraty, em nota, antes do encontro.

A manifestação ocorre em resposta à escalada da crise diplomática com Israel, após o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) comparar a ofensiva militar de Israel em Gaza ao Holocausto.

O episódio foi tema de discussão no em reunião no Palácio da Alvorada nesta manhã, com os ministros Paulo Pimenta (Secom), Alexandre Padilha (Secretaria de Relações Institucionais) e o assessor especial da Presidência para assuntos internacionais, Celso Amorim.

A definição de Lula é de que não haveria qualquer forma de retratação pela sua fala, e que a resposta do governo será diplomática, vocalizada por Vieira. A avaliação é que foi uma tentativa de escalar a crise, como forma de reação às críticas não só do governo brasileiro, mas da comunidade internacional à ofensiva contra palestinos.

"A meu ver, não há de que se desculpar. O que está ocorrendo é uma barbaridade", disse Amorim à Folha de S.Paulo. "O chanceler [Mauro Vieira] anunciará as providências que decidir tomar. (...) Sempre tivemos grande estima pelo povo judeu, que nos deu Einstein, Freud e tantos outros, além de extraordinária contribuição à cultura brasileira", completou, reforçando o que a primeira-dama, Janja, disse mais cedo, que Lula se referia ao "governo genocida" ao fazer suas críticas, não ao povo judeu.


Siga-nos no
O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Mundo

+ Mundo