Após objeção de militar, campanha de Biden diz que vai remover general aposentado de propaganda eleitoral

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

19/10/2020 20h33 — em Mundo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A campanha do candidato à Presidência dos EUA Joe Biden anunciou que vai remover de um vídeo de propaganda as imagens de um general aposentado — que contestou sua aparição no anúncio. As informações são do site Politico.

Sean MacFarland, que liderou a iniciativa americana contra o grupo terrorista Estado Islâmico e também esteve presente na Guerra do Iraque, aparece de uniforme militar acompanhado por Biden, então vice-presidente dos EUA, em um vídeo publicado no dia 10 de outubro pela campanha democrata.

Segundo o site, MacFarland contestou sua presença na propaganda através de uma publicação nas redes sociais, em que aponta que "uma série de pessoas" acreditaram que ele havia endossado Biden durante a corrida eleitoral por conta do vídeo.

"Não sou uma pessoa política, mas isto não é só sobre mim. Oponho-me ao uso de qualquer militar em uniforme em anúncios políticos. Ponto final", escreveu ele. Vídeo de campanha de Joe Biden.

O general aposentado também contou que já havia solicitado a remoção da sua imagem da propaganda para a campanha do democrata, mas teve o pedido recusado sob a justificativa de que a identificação do seu nome já havia sido "borrada" digitalmente.

Além disso, a campanha também teria dito que um "disclaimer" (aviso legal) tinha sido colado à propaganda, informando que o uso de "informações visuais do Departamento de Defesa Americano" não implicava no endosso de militares ou do próprio Departamento de Defesa.

Ainda no post nas redes sociais, MacFarland acrescentou que não deu a permissão para o uso da sua imagem e sugeriu que os militares ficassem afastados da política. "Acho que o nosso país ficará melhor se assim o fizermos", disse.