Siga o Portal do Holanda

Justiça & Direito

Crítico do Judiciário, juiz é transferido compulsoriamente

Publicado

em

A polêmica carreira do juiz Fernando Cordioli Garcia, afastado pelo TJ de Santa Catarina por supostas irregularidades - que teriam sido praticadas enquanto ele era magistrado na comarca de Otacílio Costa – tem novos desdobramentos: o magistrado está, de novo, fora de suas atividades jurisdicionais.

Depois de afastado em dezembro de 2012 por supostas “participação político-partidária" e "instabilidade emocional no exercício da jurisdição”, Cordioli foi transferido, em agosto do ano seguinte, compulsoriamente para a comarca de Sombrio (SC).

Agora, o juiz foi submetido a novo procedimento administrativo disciplinar que entrou a fundo em outras ocorrências em que o juiz teria se envolvido, ainda quando jurisdicionava a primeira comarca.

Veja Também

Para recordar o caso

Cordioli Garcia, 37 de idade, é - desde que assumiu - um crítico do Judiciário catarinense. Em 2012, ele tinha sido afastado provisoriamente do cargo pelo voto de 49 dos 62 desembargadores do TJ catarinense.

Alguns meses depois, a Junta Médica do TJ-SC emitiu um laudo pericial atestando que "Fernando Cordioli não apresenta qualquer sintoma psiquiátrico".

Desde o seu primeiro afastamento, o juiz sempre disse que era "vítima de perseguição devido ao seu trabalho de combate à corrupção".

Nas alegações finais para a sua defesa quando de seu afastamento - às quais Cordioli renunciou ao sigilo, permitindo que os jornais tivessem acesso - a advogada de defesa Ana Cândida dos Santos Echevenguá teceu uma série de elogios ao seu cliente enquanto magistrado e cidadão comum, e alegou que ele foi "injustamente afastado preventivamente sem portaria acusatória, sem acórdão e sem o sorteio de um relator para o PAD (Processo Administrativo Disciplinar) na solenidade que o afastou”.

Fonte: Espaço Vital

+ Justiça & Direito

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Copyright © 2006-2020 Portal do Holanda.