Siga o Portal do Holanda

Mundo

Veja o que diz a Constituição boliviana sobre sucessão presidencial

Publicado

em

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A autodeclaração de Jeanine Aiñez como presidente da Bolívia após a renúncia de Evo Morales traz à tona a questão de como funciona a linha sucessória de poder no país.

O artigo 169 da Constituição estipula que: "Em caso de impedimento ou ausência definitiva da presidenta ou do presidente de Estado, será substituída ou substituído no cargo pela vice-presidenta ou pelo vice-presidente e, na falta desta ou deste, pela presidenta ou presidente do Senado, e na falta desta ou deste, pela presidenta ou presidente da Câmara de Deputados."

Ainda segundo este artigo, no caso de o presidente da Câmara assumir, "se convocarão novas eleições no prazo máximo de noventa dias".

Apesar das diretrizes claras, o tema se complicou pois, além de Evo, renunciaram também seu vice e os presidentes do Senado e da Câmara. A Carta, contudo, não estipula quem assume o poder com a saída do presidente da Câmara.

Independente da Constituição, o Senado tem seu regimento próprio. O artigo 40 afirma que o primeiro vice-presidente deve "substituir a presidenta ou o presidente da Câmara no caso de ausência ou impedimento temporal".

Em seguida, o artigo 41 diz que o segundo vice-presidente deve "substituir a presidenta ou o presidente e a primeira vice-presidenta ou o primeiro vice-presidente, quando ambos se fizerem ausentes por qualquer impedimento".

Logo, não há qualquer artigo nem na Constituição nem no regimento do Senado afirmando que o segundo vice-presidente desta Casa poderia assumir como chefe de Estado, atitude tomada pela senadora de oposição Jeanine Aiñez na terça (12).

10 mil novos servidores vão entrar no governo pela porta dos fundos

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Copyright © 2006-2019 Portal do Holanda.