Compartilhe este texto

Provocado na Bienal, Lázaro Ramos diz que queria ser presidente do Brasil

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

04/07/2022 17h34 — em
Famosos & TV



SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - "Já pensou Taís de primeira-dama? Pô, tô benzão", brincou Lázaro Ramos nesta segunda-feira (4) na Bienal do Livro de São Paulo ao ser questionado por uma participante do evento se pensa em se candidatar a algum cargo político. O questionamento veio depois de uma conversa sobre a contribuição da literatura para crianças e jovens na reconstrução do Brasil.

"Será, gente? Convite tem muito, mas... Não sei! Eu queria ser presidente do Brasil. Eu queria", admitiu o ator e escritor que esteve no evento para falar sobre seus livros infantis como "Edith e a Velha Sentada", O Pulo do Coelho e Caderno Sem Rimas da Maria", esse último dedicado aos seus filhos com Taís Araújo, Maria Antônia e João Vicente.

Já no início do bate-papo com o público presente, boa parte dele composto por professores e crianças que iniciaram nesta sgunda o período de férias escolares e lotaram a arena principal da Bienal, Lázaro Ramos fez uma provocação. "A gente escreve para criança. Para as crianças já irem botando na cabeça o 'fora Bolsonaro'."

Para ele, a literatura infantil é essencial para que as crianças aprendam e convivam com o que o Brasil é. "Um país diverso. Esse é o nosso valor e a gente se perde quando esquece isso."

Lázaro, que hoje se diz à vontade para também se definir como escritor, além de ator, diz que nem sempre foi assim. Ele não teve acesso à literatura na infância e contou que até os 15 anos só lia por obrigação na escola.

Tudo mudou quando ele se interessou por interpretação e ganhou de presente do ator Wilton Cobra o livro "O Ator e o Método", de Eugênio Kusnet.

"Foi a primeira vez que eu li por prazer, para falar de uma paixão que eu tinha que era a atuação. A partir daí a chave virou e eu vi a importância do livro na minha vida. Aí li meu segundo livro por prazer que se chama 'Fernão Capelo Gaivota'", contou o autor de "Na Minha Pele".

Lázaro ainda aproveitou o espaço na Bienal do Livro para falar sobre a importância do exemplo dentro de casa, e contou um pouco mais sobre sua rotina de leitura com os filhos de 7 e 11 anos. "Tem que ser exemplo. Não existe falar para uma criança ler, se você não lê. As crianças estão nos observando o tempo todo."

"Em casa, a gente lê na frente deles, lê com eles, espalha livros pela casa. Nossa casa às vezes parece uma bagunça porque tem livro em todo canto. Mas é justamente para o livro se tornar uma ferramenta de afeto, carinho e naturalidade dentro do ambiente em que as crianças vivem."

"NÃO EXISTE CONHECIMENTO POSSÍVEL QUANDO A GENTE CELEBRA A IGNORÂNCIA"

Ainda no tema da contribuição da literatura na formação de pessoas, Lázaro mais uma vez provocou sobre como vê a reconstrução do país após uma era de desvalorização da cultura, algo impensável em um evento dedicado totalmente ao livro e lotado até mesmo em uma segunda-feira à tarde.

"Para reconstruir esse país, primeiro, tem que trocar de presidente. Estou falando isso como provocação, mas é porque não tem como a gente nesse espaço tão importante não debater isso", pontuou o ator e escritor.

"A gente está vindo de um período onde tem uma celebração a ignorância, uma desvalorização da educação, da figura dos professores, do poder e da importância dos livros. Inclusive taxando mais os livros e liberando armas. Esse é o momento que a gente está vivendo e é preciso falar."

Aplaudido de pé, Lázaro concluiu seu discurso. "Precisamos voltar a valorizar a educação, a literatura, o acesso ao livro, a cultura. Não tem jeito. O país é feito disso também. Não existe conhecimento possível quando a gente celebra a ignorância, fake news, desinformação."


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Famosos & TV

+ Famosos & TV