Plano de Mancini falha, e Corinthians não consegue atingir estabilidade

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

29/10/2020 16h05 — em Esportes

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - A agressividade citada pelo técnico Vagner Mancini na véspera do duelo entre Corinthians e América-MG de quarta-feira (28) ficou só no papel. Derrotado por 1 a 0 em plena Neo Química Arena, na estreia da Copa do Brasil, o time alvinegro mostrou apatia e falta de criatividade diante dos mineiros. O revés reforçou o período instável vivido pelo clube paulista.

O Corinthians voltou a atuar sem centroavante, mesmo com Boselli à disposição. Nessa formação, com dois jogadores abertos e Mateus Vital na função mais próxima à área, o time de Mancini pouco produziu no meio-campo. Sem uma referência na frente e pouca profundidade, os corintianos contribuíram para um jogo extremamente truncado.

Um dia antes da estreia na Copa do Brasil, Mancini prometeu que o Corinthians buscaria "o gol desde o início". No jogo, mesmo com 68% de posse de bola, o time finalizou 14 vezes, quase sempre em chute de longe. Apenas uma delas, no primeiro tempo, foi em direção ao gol.

Na etapa final, com cinco mudanças na equipe, o desempenho piorou. Com Boselli e Léo Natel desde os 18 minutos do segundo tempo, o Corinthians conseguiu concluir apenas três vezes à meta do América-MG.

"Embora a gente tivesse números significativos, na verdade não repercutiu, porque não foi um jogo que a gente esperava. Teve a bola nos pés a maior parte do tempo, mas não produziu o que tinha de produzir. Por isso não chutamos a bola no gol. Óbvio que isso me preocupa e muito", afirmou o técnico corintiano.

"Tudo está baseado na personalidade que temos de ter dentro de campo para executar as jogadas. Eu tenho incentivado os jogadores ao um contra um, a tentar jogadas. Às vezes as jogadas são desenhadas para isso e no momento da decisão o jogador toma a decisão de tocar para trás. Me irritei muito com isso no primeiro tempo", completou.

A apatia foi castigada no fim, na única finalização certa do time mineiro no gol de Cássio. O lance, inclusive, foi uma sucessão de erros corintianos. Cássio errou um tiro de meta, enquanto Luan e Sidcley abdicaram da disputa da bola. Neto Berola avançou e cruzou para Marcelo Toscano, que passou com tranquilidade pela marcação de Fagner.

"O Corinthians precisa melhora rapidamente em alguns quesitos e eu vou em busca das soluções, seja de uma forma agradável ou não, mas foi em busca de soluções. Não vou ficar assistindo passivamente uma equipe que não dá um chute no gol", frisou Mancini.

Depois de quatro jogos com Mancini no comando, o Corinthians manteve a fase instável e as dificuldades em sua arena. Na estreia do treinador, o time derrotou o Athletico-PR por 1 a 0, com um gol no fim na Arena da Baixada. Em seguida, levou 5 a 1 do Flamengo em casa.

A reabilitação veio diante do Vasco, em São Januário, novamente com o gol da vitória no fim, com placar de 1 a 0. A busca pela tranquilidade na temporada acabou rápido, com mais um revés em Itaquera.

Para passar para as quartas de final da Copa do Brasil, o Corinthians terá de voltar a vencer como visitante. Um triunfo com um gol de diferença leva a decisão para os pênaltis. O duelo da volta será na próxima quarta (4), em Belo Horizonte. Antes, os corintianos recebem o Inter em casa pela 19ª rodada do Brasileirão. A bola rola no sábado às 19h.