Compartilhe este texto

Djokovic é dono de empresa que tenta desenvolver tratamento para Covid-19

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

19/01/2022 16h05 — em Esportes


SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Novak Djokovic tem 80% das ações de uma empresa dinamarquesa de biotecnologia que tenta desenvolver um tratamento contra a Covid-19. Segundo o CEO da QuantBioRes, a compra foi realizada ainda em 2020, por valores mantidos sob sigilo.

Segundo o CEO Ivan Loncarevi, a QuantBioRes tem 11 cientistas trabalhando em três países diferentes tentando desenvolver um peptídeo que impeça o coronavírus de infectar a célula humana. A expectativa da empresa é lançar testes clínicos na Grã-Bretanha na metade deste ano.

Os três países em que a empresa de biotecnologia trabalha são Dinamarca, Eslovênia e Austrália, de onde Djokovic foi deportado no último domingo (16). Ultimamente seu nome tem sido relacionado muito mais à Covid-19 do que ao tênis. Ele tentou jogar o Australian Open mesmo sem estar vacinado e acabou detido, com visto negado e obrigado a deixar o país após disputa na Justiça.

No restante do circuito, a decisão de não se vacinar pode seguir custando caro a Djokovic: o governo francês, por exemplo, já avisou que ele vai ter que apresentar comprovante de vacinação se quiser jogar em Roland Garros em maio.


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Esportes

+ Esportes