Cruzeiro vence o Operário na estreia de Felipão

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

20/10/2020 23h03 — em Esportes

BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS) - O jogo, do ponto de vista técnico, não "foi lá essas coisas", mas o resultado foi importantíssimo para o Cruzeiro, que venceu o Operário por 1 a 0, nesta terça-feira (20), no estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa (PR), pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. O gol da Raposa foi marcado por Arthur Caíke.

A chegada de Felipão surte efeito logo no primeiro jogo, e o Cruzeiro voltou a vencer após quatro partidas de jejum. Com o resultado, o time mineiro sobe duas posições de forma provisória, chega ao 17º lugar e aguarda a partida do Figueirense para saber sua posição real ao fim da rodada. O Operário-PR, por sua vez, ficou com 22 pontos e segue em décimo.

O destaque da partida foi Ricardo Silva. O zagueiro do Operário apareceu sempre que os atacantes do Cruzeiro ameaçavam uma investida com mais perigo. Foi um leão no setor defensivo e ganhou a maioria das disputas. Só não foi capaz de impedir o gol de Arthur Caíke, autor do gol da vitória do Cruzeiro, na sua terceira tentativa ofensiva.

Do lado cruzeirense, o destaque foi o meia-atacante Airton, que entrou bem no segundo tempo. Com velocidade, promoveu boas jogadas pelo lado direito e deu a assistência para o gol da vitória do time de Felipão.

O Cruzeiro voltou a mostrar um problema que não é novo. O time segura a bola, troca passes, fica na intermediária do adversário, mas tem dificuldade em agredir a defesa adversária. Apesar de o Operário também não ter levado perigo ao gol de Fábio, os jogadores cruzeirenses também não conseguiram definir com qualidade.

O velho problema da criação de jogadas, falta de criatividade e inoperância na quebra de linhas defensivas do rival ficaram novamente evidentes.

O Operário mostrou também um futebol bem questionável, também com dificuldade de formatar um pensamento ofensivo. Quando chegou à meta de Fábio, na maioria das vezes, o fez por um erro do próprio Cruzeiro. O time não mostrou também criatividade no início das jogadas de ataque.

Com isso, a vitória foi determinada praticamente por uma jogada individual. Aírton arrancou desde a intermediária pelo centro, correu até a ponta direita e fez o cruzamento. A bola passou por toda a defesa do Operário e parou em Arthur Caíke. O meia-atacante dominou e chutou no canto direito, definindo o triunfo do Cruzeiro.