Siga o Portal do Holanda

Esportes

Em noite de golaços e com um a menos, Atlético-MG vence Flamengo em casa

Publicado

em

Foto: Reprodução/ Twitter Atlético MG

Conhecidos por protagonizarem uma das principais rivalidades interestaduais do País, Atlético Mineiro e Flamengo honraram, neste sábado, a história de emoções no confronto entre eles. No Independência, mesmo com um jogador a menos e em um duelo de três golaços, o Atlético-MG se deu melhor e derrotou o time carioca por 2 a 1, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro.

O resultado recupera a moral da equipe mineira, vista sob desconfiança pelo seu torcedor e que havia tropeçado nos seus dois compromissos anteriores, ambos em casa, contra o Palmeiras (2 a 0), pelo Brasileirão, e Santos (0 a 0), pela Copa do Brasil. E foi assegurado em um misto de garra, para segurar a vantagem após a expulsão de Elias e de talento, pelos belos gols marcados por Cazares e Chará, além das difíceis defesas de Victor.

O duelo foi acompanhado no Independência pelo técnico português Jorge Jesus, sendo que o time mineiro ainda busca um treinador para a sequência da temporada. O Atlético-MG chegou aos 12 pontos, em segundo lugar no Brasileirão, e agora volta as suas atenções para a estreia na Copa Sul-Americana, terça-feira, contra o Unión La Calera, no Chile.

O Flamengo, por sua vez, teve maior volume de jogo no Independência, mesmo antes da expulsão de Elias, mas pecou nas finalizações e, principalmente, no sistema defensivo, tendo errado nos dois gols do Atlético-MG.

Com sete pontos, está em sétimo lugar no Brasileirão, mas certamente perderá mais posições no complemento da rodada. E tentará se reabilitar em 26 de maio, quando receberá o Athletico-PR, no Maracanã.

O JOGO - Mesmo atuando fora de casa, o Flamengo dominou os primeiros 20 minutos do duelo, chegando em alguns momentos a ter mais de 70% de posse de bola. Com um bom toque de bola, o time carioca envolveu o Atlético-MG, jogou em velocidade e só não abriu o placar porque Bruno Henrique falhou em duas oportunidades, sendo que em uma delas parou na excelente defesa de Victor.

A postura ofensiva do Flamengo assustou o Atlético-MG, mas aos poucos o time conseguiu sair ao campo de ataque e equilibrar o jogo. E aproveitou uma falha da defesa carioca para abrir o placar. Aos 27 minutos, Diego Alves saiu jogando com Renê, que rolou para Rodrigo Caio. O zagueiro errou ao tentar dar um chutão e Cazares aproveitou. Invadiu a área, deu um corte seco em dois marcadores e rolou para a rede.

Só que a vantagem e o alívio atleticano duraram muito pouco. Logo depois, aos 30, o Flamengo empatou em uma bela trama ofensiva, iniciada por Gabriel, que acionou Willian Arão. O meio-campista passou para Bruno Henrique, na ponta esquerda, que cortou Guga e bateu de esquerda, fazendo 1 a 1.

A nova igualdade devolveu ao Flamengo o domínio do jogo. Adiantando a marcação e atuando em velocidade, continuou criando chances de gol, mas com Victor mais uma vez parando em Bruno Henrique, jogador mais perigoso do time ao lado de Éverton Ribeiro.

E a situação atleticana ficou ainda mais complicada ao perder Réver, após um choque na cabeça, e, principalmente em função da expulsão de Elias nos acréscimos, após entrada dura em Renê. O árbitro Paulo Roberto Alves Junior chegou a aplicar apenas o cartão amarelo, mas mudou de ideia após consulta ao VAR.

O fim do primeiro tempo indicava que o Atlético-MG encontraria dificuldades na etapa final, pois voltou do intervalo com um jogador a menos e contra um adversário cheio de qualidade no setor ofensivo, tanto que o técnico interino Rodrigo Santana trocou o centroavante Ricardo Oliveira pelo volante Adílson.

Só que novamente um vacilo da defesa do Flamengo e a inspiração de um estrangeiro do Atlético-MG colocou o time em vantagem. Logo no primeiro minuto, Léo Duarte errou ao tentar um corte de cabeça, deixando a bola para Chará, que, mesmo sem muito ângulo, bateu forte, colocando o time mineiro em vantagem.

A partir daí, a partida no Independência se transformou em um duelo de ataque contra defesa. Abel Braga foi colocando atacantes em campo - Vitinho, Lincoln e Berrío -, chegando a sacar um zagueiro - Léo Duarte - e o Atlético-MG só se preocupava em evitar o empate do Flamengo. O time demonstrou alguma organização defensiva, mas o volume do time carioca lhe rendia algumas oportunidades, especialmente nos minutos finais.

Lincoln perdeu uma chance incrível após cruzamento, assim como Rodrigo Caio quase marcou de cabeça, em jogadas em que os jogadores falharam nas finalizações. Victor também fez defesa difícil após finalização de Renê. E o Atlético-MG conseguiu sustentar o resultado que o mantém entre os primeiros colocados do Brasileirão.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-MG 2 X 1 FLAMENGO

ATLÉTICO-MG - Victor; Guga, Réver (Leonardo Silva), Igor Rabello e Patric; Zé Welison; Cazares (Vinicius), Elias, Luan e Chará; Ricardo Oliveira (Adilson). Técnico: Rodrigo Santana.

FLAMENGO - Diego Alves; Pará, Rodrigo Caio, Léo Duarte (Vitinho) e Renê; Cuéllar, William Arão, Arrascaeta (Lincoln), Everton Ribeiro e Bruno Henrique; Gabriel (Berrío). Técnico: Abel Braga.

GOLS - Cazares, aos 27, e Bruno Henrique, aos 30 minutos do primeiro tempo. Chará, a 1 minuto do segundo tempo.

ÁRBITRO - Paulo Roberto Alves Junior (PR).

CARTÕES AMARELOS - Hugo Moura (no banco de reservas), Victor, Luan e Leonardo Silva.

CARTÃO VERMELHO - Elias.

RENDA - R$ 501.165,00.

PÚBLICO - 13.616 torcedores.

LOCAL - Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).

Agenda oculta de Bolsonaro: acabar com a Zona Franca de Manaus

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Copyright © 2006-2019 Portal do Holanda.