Amazonino defende ampliação da rede básica de saúde em Manaus

Por Portal do Holanda

27/10/2020 15h39 — em Eleições

Candidato propôs estrutura de atendimento para pessoas com deficiência no residencial Viver Melhor. Foto: Aguilar Abecassis

Manaus/AM - Em reunião por videoconferência com os moradores do Residencial Viver Melhor, zona norte de Manaus, o candidato a prefeito pela Coligação Juntos Podemos Mais, Amazonino Mendes, anunciou que, se eleito, vai construir no local o primeiro Centro de Convivência da Família Municipal com rede de assistência à Pessoa com Deficiência (PCD). Também vai implantar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) em formato ampliado, popularmente conhecida como Casona da Saúde.

Amazonino Mendes (PODEMOS) lamentou a situação de abandono enfrentada pelos cerca de 70 mil moradores do Viver Melhor, relatada pelas pessoas que participaram da reunião. “É um residencial gigantesco, ocupado por famílias simples, sem maiores condições econômicas, e que foi montado sem a estrutura básica necessária para atendê-las”, afirmou.

Amazonino lembrou que a cobertura de Atenção Básica precisa ser melhorada em toda a cidade. E que irá construir Casonas de Saúde em locais que estão desassistidos ou precisando de reforço, como o Residencial Viver Melhor. “Vocês enfrentam problemas similares a de muitos municípios, devido à quantidade de moradores, maior que a população de muitas cidades brasileiras”, frisou.

Na videoconferência, Amazonino disse que vai construir um Centro de Convivência da Família, com assistência às pessoas com deficiência. No residencial, 5% dos moradores são PCD. “É preciso um espaço que promova alegria, satisfação e que integre a pessoa com deficiência. Esse é o conceito a ser empregado”, ressaltou.

Segundo a secretária do Instituto de Desenvolvimento Comunitário Viver Melhor (Idecovim), Ana Torres, as pessoas da comunidade “estão carecendo de um resgate, de dignidade, da saúde, do respeito, da acessibilidade, da valorização como morador”.

O Residencial Viver Melhor foi inaugurado em 20 de dezembro de 2012, considerado, à época, o maior conjunto habitacional do Brasil, com 3.593 unidades.