Compartilhe este texto

Dólar marca 3° recuo semanal seguido e vai a R$ 4,73

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

27/05/2022 20h36 — em
Economia



SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em uma nova sessão marcada pela redução da aversão ao risco por parte dos investidores em escala global, o dólar voltou a perder força frente ao real e marcou a terceira semana consecutiva de desvalorização, enquanto a Bolsa de Valores terminou o dia em leva alta. Os papéis da Eletrobras encerram o dia sem tendência definida, após a estatal anunciar o lançamento da oferta de ações no âmbito da privatização da estatal.

No câmbio, o dólar fechou nesta sexta em queda de 0,46%, a R$ 4,7390, com queda de 2,7% na semana, a terceira consecutiva para o intervalo, e de 15% no ano.

Na Bolsa brasileira, o índice de ações Ibovespa fechou em leve alta de 0,05%, aos 111.941 pontos, com valorização acumulada de 3,18% na semana, e de 6,8% no ano. A sessão foi de volatilidade para os papéis da Eletrobras. Os papéis ordinários da empresa recuaram 1,23%, enquanto os preferenciais avançaram 0,59%.

A Eletrobras lançou nesta sexta a oferta de ações com vistas à sua privatização, uma operação que movimentaria cerca de R$ 35 bilhões, considerando um lote suplementar e o valor do papel no fechamento da véspera, segundo prospecto preliminar entregue à CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Os números vieram dentro do que o mercado já vinha projetando ao longo das últimas semanas.

A operação envolvendo a maior companhia elétrica da América Latina, com atuação em geração, transmissão e comercialização de energia, será precificada no dia 9 de junho, e o preço da oferta será determinado com base no interesse dos investidores.

Desconsiderando o lote suplementar de ações, a oferta da Eletrobras chegaria a R$ 30,69 bilhões.

A operação de capitalização envolverá uma oferta primária e secundária de ações ordinárias realizada simultaneamente no Brasil e no exterior, o que diluiria a participação do Estado na empresa de 72% para pelo menos 45%.

A oferta primária será, inicialmente, de 627.675.340 novas ações.

Já a oferta secundária será de 69.801.516 ações atualmente detidas pelo banco de desenvolvimento BNDES.

A cotação de fechamento das ações ordinárias de emissão da companhia na B3 e dos ADSs, em 26 de maio, foi, respectivamente, de R$ 44 reais e de US$ 9,23 por ADS representadas por ADR, valores estes meramente indicativos para a operação, "podendo variar para mais ou para menos, conforme a conclusão do procedimento de "Bookbuilding".

O comunicado detalha ainda que a quantidade de ações da oferta inicial poderá ser acrescida de um lote suplementar de até 15% do total das ações.

Com o lançamento oficial da oferta ao mercado, os próximos passos são o "roadshow" de apresentação da oportunidade a investidores e a coleta de intenções de investimento, quando se apura efetivamente a demanda do mercado pela operação e o valor final por ação da oferta.

A Eletrobras tem perto de 51 gigawatts (GW) em capacidade instalada de geração --equivalente a 29% do parque gerador do Brasil-- e mais de 70 mil km de linhas de transmissão, ou 43,1% da rede nacional.

Um dos propósitos da capitalização é fazer com que a companhia tenha condições de aumentar seu nível de investimentos e se tornar mais competitiva no mercado --há anos a estatal não participa ou ganha leilões organizados pelo governo.

Os recursos que devem ser levantados com a oferta primária da Eletrobras vão para o caixa da empresa, para ajudá-la a pagar uma bonificação de outorga à União pela mudança no contrato de suas usinas hidrelétricas, que passarão a poder vender energia no mercado livre.

A companhia terá ainda que realizar mais de R$ 30 bilhões em aportes à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) ao longo dos anos, para ajudar a aliviar tarifas de energia para consumidores, além de direcionar recursos para revitalização de bacias hidrográficas.

ELETROBRAS APROVA POSSÍVEL INTEGRALIZAÇÃO DA SANTO ANTÔNIO ENERGIA

A Eletrobras também informou que o conselho de administração aprovou a integralização, por sua subsidiária Furnas, da totalidade das ações da Madeira Energia —controladora da Santo Antônio Energia— que eventualmente sobrarem após um aumento de capital que pode não ser acompanhado pelos demais sócios no empreendimento.

A elétrica republicou nesta sexta seu balanço do primeiro trimestre, "no contexto da oferta pública de ações a ser realizada pela companhia", para incluir uma revisão da avaliação do auditor independente em relação à Santo Antônio, alertando para possível inadimplência.

A Santo Antônio Energia, que controla uma usina hidrelétrica de mesmo nome no Rio Madeira (RO), deve realizar um aumento de capital de cerca de R$ 1,5 bilhão até o fim deste mês para fazer frente a uma decisão arbitral desfavorável.

No entanto, sócios da empresa podem não acompanhar a operação —a Cemig, por exemplo, já declarou ao mercado que não fará o aporte correspondente à sua participação de 8,53% na Madeira Energia.

Além de Cemig e Furnas —que detém a maior fatia do capital da Madeira Energia, com 43,06%—, são acionistas na empresa a Novonor (antiga Odebrecht, com 18,25%), Caixa FIP Amazônia Energia (19,63%) e SAAG (veículo da Andrade Gutierrez, com 10,53%).

Segundo comunicado da Eletrobras divulgado na quinta-feira (26), titulares de debêntures de Furnas terão que aprovar a realização do aumento de capital na Madeira Energia. Uma assembleia de debenturistas foi marcada para 30 de maio.

Caso não obtenha essa aprovação, a Eletrobras alertou que a dívida representada pelas debêntures deverá ser declarada antecipadamente vencida, "o que poderá causar um efeito adverso relevante em Furnas e na Companhia em decorrência de inadimplemento ou vencimento antecipado cruzado (cross acceleration ou crossdefault) de suas dívidas".

No formulário de informações trimestrais (ITR) atualizado nesta sexta-feira, a Eletrobras aponta que, se não obtiver os "waivers", poderá não ser capaz de cumprir a maioria de suas obrigações de pagamento.

"Da mesma forma, a Companhia acredita que não terá recursos suficientes para quitar a maior parte de sua dívida caso ela se torne imediatamente vencida e exigível e para continuar a implementar seu plano de negócios, o que comprometeria suas operações, condição financeira e resultados operacionais".

Em 31 de março, a dívida total de Furnas era de cerca de R$ 7 bilhões, e a dívida consolidada da Eletrobras era de 41,6 bilhões.

Neste mês, o presidente da Eletrobras, Rodrigo Limp, comentou que a Eletrobras estava analisando "todos os cenários" em relação à Santo Antônio Energia, "inclusive o de que (outros sócios) não façam o aporte".

"Não saberíamos quantificar o que aconteceria no eventual pior cenário, mas eventualmente teria que fazer uma negociação com credores", disse Limp na ocasião, acrescentando que não via impacto dessa operação de Santo Antônio sobre a capitalização da companhia.

BOLSAS GLOBAIS FECHAM EM ALTA NESTA SEXTA

No mercado global, o dia foi de alta generalizada nas principais Bolsas, com a redução no temor dos investidores a respeito de um aperto monetário mais agressivo por parte do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos).

O S&P 500 marcou valorização de 2,47%, o Dow Jones subiu 1,76%, e o Nasdaq, com maior concentração de ações de tecnologia, avançou 3,33%.

O movimento no mercado americano acompanhou as altas verificadas na Europa e na Ásia.

Nas Bolsas europeias, o FTSE-100, de Londres, subiu 0,27%, o CAC-40, de Paris, avançou 1,64%, e o DAX, de Frankfurt, 1,62%.

Na Ásia, o CSI 300, da China, fechou a sessão nesta sexta em alta de 0,21%, o Hang Seng, de Hong Kong, subiu 2,89%, e o Nikkei, de Tóquio, 0,66%.



O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Economia

+ Economia