Compartilhe este texto

Com ataque a PT por Petrobras, Bolsonaro diz que não se ouve falar em corrupção

Por Estadão Conteúdo / Portal do Holanda

19/05/2022 13h39 — em
Economia



Em discurso durante almoço em evento no Rio de Janeiro, o presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a dizer que no Brasil não se ouve mais falar em corrupção, lembrando que o endividamento da Petrobras chegou a atingir R$ 900 bilhões entre 2003 e 2015, período em que o País foi comandado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) e ocorreu a operação Lava Jato.

Bolsonaro participou do segundo dia do congresso "Mercado Global de Carbono - Descarbonização & Investimentos Verdes" que acontece até sexta-feira no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, zona Sul da cidade. O evento é patrocinado pelo Banco do Brasil e Petrobras, com o apoio institucional do Banco Central, Ministério do Meio Ambiente (MMA) e governo federal.

O presidente da Petrobras, organizadora do evento, José Mauro Ferreira Coelho, compareceu ao segundo dia de palestras. Bastidores dão conta de que Coelho já sofre fritura no Planalto em função do recente reajuste no preço do óleo diesel.

Após discursar no evento, Bolsonaro atravessou a rua para o almoço organizado pelo congresso, onde encontrou o presidente da Petrobras pela primeira vez após o aumento do diesel, no último dia 10. Coelho, assim como outros subordinados de Bolsonaro que estavam presentes - Gustavo Montezano (BNDES), Adolfo Schasida (MME), entre outros - se levantou para cumprimentar Bolsonaro após o discurso.

"Encontrei o Brasil em 2019 com vários problemas éticos, morais e econômicos, e, deixo bem claro aqui, aproveitando que o presidente da Petrobras está aqui, para os mais humildes, o pessoal que está lá atrás e vai me servir daqui a pouco (garçons), que o endividamento da Petrobras de 2003 a 2015 chegou a R$ 900 bilhões", disse Bolsonaro, que concorre este ano à reeleição.

Segundo Bolsonaro, com esse montante de recursos o Brasil poderia construir 60 vezes a transposição do rio São Francisco. "Isso foi fruto da corrupção, desmandos, malfeitos, projetos começados e não concluídos, entre outras tantas coisas", destacou.

O presidente voltou a afirmar, também, que a inflação que tem corroído o poder de compra do brasileiro é um fenômeno mundial, por causa da pandemia do covid-19, e que em muitos países se nota a possibilidade de desabastecimento, o que não vai ocorrer no Brasil.

"A inflação é uma questão mundial e não existe país que não esteja sofrendo com a inflação, em especial pela questão da pandemia. Em muitos países se nota a possibilidade de desabastecimento e todos voltam seus olhos para o Brasil, um País onde a agricultura comercial não parou (durante a pandemia)", observou, destacando que, no mundo, uma entre cinco pessoas é alimentada pelos produtos agrícolas brasileiros.

Bolsonaro destacou ainda a segurança jurídica que o País garante aos investidores e que o Brasil tem tudo para despontar como grande potência em meio ao novo mercado de economia verde. "Aqui é um porto seguro para todos", afirmou. "O Brasil cada vez mais é olhado como uma nação essencial para o mundo", concluiu.



O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Economia

+ Economia