Biden diz que bloquear suspensão do teto da dívida seria 'imperdoável'

Por Estadão Conteúdo / Portal do Holanda

20/09/2021 16h24 — em Economia

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou nesta segunda-feira, 20, que a suspensão do teto da dívida do país é uma responsabilidade bipartidária. O chefe da Casa Branca compartilhou no Twitter uma carta em que os líderes do Partido Democrata no Congresso pressionam os republicanos a apoiar a medida.

"Eu aplaudo este plano de @SpeakerPelosi e @SenSchumer para manter o governo aberto, fornecer ajuda em desastres e evitar um calote catastrófico", escreveu Biden. No documento divulgado pelos democratas, a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, e o líder da maioria no Senado, Chuck Schumer, dizem que os EUA podem entrar em recessão se o teto da dívida não for suspenso.

"Esta é uma responsabilidade bipartidária, assim como era no governo do meu antecessor. Bloquear isso seria imperdoável", afirmou o presidente americano. Pelosi e Schumer pretendem colocar em votação nesta semana no Congresso um projeto de lei que inclui a suspensão do teto até dezembro de 2022.

Líder republicano

Líder republicano no Senado dos Estados Unidos, Mitch McConnell reafirmou hoje, pelo Twitter, que não pretende ajudar a situação democrata a aprovar uma elevação no teto da dívida do governo. Ele diz que tem afirmado desde julho que os próprios democratas devem resolver a questão, já que "controlam todo o governo".

O presidente Joe Biden e lideranças democratas têm pressionado por uma solução conjunta. McConnell argumenta que os democratas podem agir sozinhos, mas buscariam o apoio republicano para o que ele vê como altas irresponsáveis em impostos e gastos em excesso.


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

+ Economia