Siga o Portal do Holanda

Seria comandante do esquema

Contadora é presa suspeita de desviar mais de R$ 1 milhão de empresa em Manaus

Publicado

em

Foto: Divulgação

Manaus/AM - A contadora Deny Lourenço Gaspar do Santos, 38, foi presa nesta terça-feira (4) suspeita de comandar um esquema criminoso, dentro da empresa contábil onde trabalhava, que desviou mais de R$ 1 milhão.

De acordo com o titular do 19° DIP, Aldeney Goes, Deny foi presa no momento em que deixava o escritório de uma advogada,no bairro Cachoeirinha, zona sul de Manaus. O fato ocorreu em cumprimento a mandado de prisão temporária expedido hoje (4), pela juíza Anagali Marcon Bertazzo, da 6ª Vara Criminal.  

O titular do 19º DIP explicou que a suspeita, juntamente com outras pessoas, entre familiares e amigos, está sendo investigada por desvio de recursos da empresa onde trabalhava, no bairro Centro, zona sul da cidade. “Ela era a contadora da empresa, mas tinha acesso para movimentar os valores do grupo empresarial. Após as suspeitas terem gerado o desligamento dela da empresa, ela passou a ter paradeiro incerto, sendo encontrada hoje em Manaus, porém já estava com passagem de ida para São Paulo na quarta-feira (5)”, relatou.

Aldeney Goes ressaltou que o próximo passo das investigações será descobrir o paradeiro dos valores desviados, que chegam a R$ 1.115.154,30 milhão. “Não sabemos se estão em espécie ou em contas secretas no Brasil e exterior. Não descartamos a possibilidade, ainda, do dinheiro ter sido usado para a compras de imóveis”, disse.

Ainda segundo o delegado, a mulher teria contado com ajuda de parentes para cometer o crime. “Não sabemos, ao certo, o grau de participação de cada um dos envolvidos no esquema criminoso, mas já temos alguns nomes e nos próximos dias pretendemos ouvir essas pessoas. Estamos em posse de vasto acervo documental que comprova o envolvimento de Deny no desvio desse montante”, argumentou.

Deny foi indiciada por associação criminosa. O delegado esclareceu que irá apurar as circunstâncias em que os desvios aconteceram e a mulher poderá responder, ainda, caso comprovado, por furto qualificado, lavagem de dinheiro e falsificação documental. Ela vai permanecer na carceragem do 19º DIP até o término dos procedimentos cabíveis em torno do caso.

Coari sob a lupa do Ministerio Público

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.


Copyright © 2006-2019 Portal do Holanda.