Setembro Amarelo: Depressão é um dos principais motivos de suicídio no país

Por Portal do Holanda

19/09/2016 12h13 — em Saúde e Bem-estar

Nos últimos anos, o número alarmante de casos de suicídio se tornou problema de saúde pública e tem preocupado autoridades e a sociedade de forma geral. O assunto sempre foi evitado pela mídia e pouco discutido em ambientes sociais, nos lares era assunto proibido e visto como fato isolado ou de pouca importância, mas devido às ultimas pesquisas sobre o número de casos no Brasil e no mundo, o tema tem ganhado notoriedade e impulsionado campanhas de valorização à vida em todo o mundo.

Por isso, o mês de setembro foi escolhido para alavancar ainda mais as discussões sobre o assunto e promover ações que auxiliem na redução desses números, é o “Setembro Amarelo” iniciado no último sábado (10). Durante esse período, pontos turísticos e monumentos históricos por todo o Brasil seguem iluminados da cor amarela, fazendo alusão ao movimento. Em Manaus, o Teatro Amazonas, a Ponte Rio Negro e a Arena da Amazônia foram alguns dos pontos escolhidos para integrar.

Para se ter ideia da proporção do problema,  todos os dias cerca de 2.200 tiram suas próprias vidas em todo o mundo, no Brasil esse número é de 32 vítimas diárias, segundo dados da OMS. No Amazonas de acordo com informações da Associação Amazonense de Psiquiatria (AAP), são ao menos 2 casos por dia, o que coloca a capital Manaus, como a 9° cidade com maior índice de casos do país, a maioria  dos casos está atrelada a algum distúrbio  psiquiátrico  ou emocional com o a depressão, bipolaridade, ou ainda ao consumo de drogas ilícitas.

A maioria dos casos pode ser evitado, mas isso requer atenção por parte de amigos e familiares, uma vez que, quando a  pessoa evidencia  sinais de que algo não está bem, ela começa  a se isolar, ficar agressiva ou ainda depressiva. Segundo os psicólogos, a depressão é um dos fatores mais perigosos que podem desencadear um suicídio. Sarah Lopes, psicológa da Hapvida Saúde, afirma que em casos suspeitos, o melhor a fazer é procurar ajuda de um profissional: “A depressão é um transtorno muito comum atualmente, a grande maioria dos pacientes que recebo nos consultórios chegam com esta queixa, porém, é preciso ter certo cuidado com o diagnóstico, pois somente um profissional pode orientar qual será a conduta mais adequada para cada caso”.

É a primeira vez que o estado participa da campanha e tem como coordenador o defensor público Ricardo Trindade, que perdeu a filha de apenas 16 anos para o suicídio. A campanha também conta com o apoio do Governo do Estado, da Associação Amazonense de Psiquiatria (AAP) e do Conselho Federal de Medicina (CFM) e de uma importante instituição de apoio, o Centro de Valorização à Vida (CVV) que oferece de forma voluntária apoio emocional por meio do telefone 141.

Durante todo o mês de setembro, ocorrerão várias ações de conscientização, simpósios, panfletagem, debates e palestras sobre a prevenção e a importância da saúde mental, o objetivo é mostrar que o suicídio pode ser prevenido, mas para isso é preciso quebrar o silêncio sobre este mal.