A PF madrugando em Manaus

Por Portal do Holanda

08/10/2020 21h12 — em De olho na Política

Foto: Pedro Braga Jr / Portal do Holanda

Foi um amanhecer de quinta-feira turbulento, com correrias, apreensões e prisões em áreas nobres de Manaus, inclusive a sede do governo. Os envolvidos sabiam que seus malfeitos tinham sido descobertos e seus nomes estavam na alça de mira dos ‘tiras’ federais.

Membros do alto escalão do governo de Wilson Lima praticavam ‘atos imperdoáveis’ desde o início do mandato. Mas foi a pandemia da Covid-19 que revelou a ‘sujeira federal’ na saúde.
Por enquanto, o volume de recursos no escândalo dos respiradores parece pequeno, diante do que é suspeito e investigado. Até que delegados e procuradores desnudem o corpo do iceberg.

CPI e escândalo na saúde
 
Membros da CPI da Saúde, encerrada no dia 29 de setembro, que fazem oposição ao governo, comentaram ontem a Operação Sangria.  Serafim Corrêa destacou a ‘precisão cirúrgica’ do presidente Delegado Péricles na condução dos trabalhos.
O próprio Péricles relacionou a operação da PF com as apurações da CPI. Wilker Barreto pediu mais uma CPI para investigar as OS na saúde. E João Luiz propôs uma CPI para a energia elétrica.

No coração do governo

Com uma operação da PF e MPF atingindo o coração do governo, a campanha eleitoral perdeu o sabor no cardápio político da mídia local. No gosto do povão, primeiro vem os escândalos, depois as propostas.

Só nós aqui

Por outro lado, as redes sociais ganharam destaque nas investigações. O grupo de Whatsapp “Só nós aqui”, descoberto pela PGR, serviu para ‘alinhar’ os discursos que 3 ex-secretários de deveriam seguir nos depoimentos à CPI da Saúde. 

Guerra por cargos

A guerra por cargos é tradicional em toda campanha eleitoral. E pernadas são comuns nessa disputa. Nada demais o pastor Silas Câmara dar uma rasteira no colega deputado Sidney Leite, retomando o cargo de superintendente da Funasa-AM para seu afilhado Wenderson Monteiro.