'Organizadas' ensaiam novos hinos para animar torcida brasileira

Por

24/06/2014 8h06 — em Brasil

(AFP) - Chega de "Sou brasileiro, com muito orgulho e muito amor". Para acabar com hinos considerados 'caretas', grupos de Brasília lançaram pelas redes sociais novas músicas para empurrar a seleção brasileira contra Camarões.

"Surgiu da nossa estupefação, da nossa vergonha com a apatia da nossa torcida no último jogo, contra o México. Os mexicanos cantavam 'Cielito lindo' a plenos pulmões, cobrindo a torcida brasileira. Isso não pode mais acontecer", disse à AFP Rodrigo Loffrano, servidor público de 30 anos que criou o grupo "Vamos cantar Brasil".

A ideia é dar uma renovada no repertório para que a empolgação da torcida vá além do hino nacional cantado à capela.

"Conversei com um amigo meu que é publicitário para fazer um movimento na internet para tentar mobilizar e disseminar alguns hinos baseados em músicas conhecidas por todo mundo. Depois, juntamos uma galera, fizemos ensaios para que todos pudessem aprender a cantar", explicou.

'Canarinho até morrer'

Horas antes do pontapé inicial de Brasil e Camarões, Rodrigo marcou nas redes sociais um encontro com outro grupo, a Torcida Organizada Brasileira, fundada pelo estudante de 23 anos Lucas Resende. Os dois se reuniram perto da torre de TV, um dos pontos turísticos da capital federal.

Lucas não veio de mãos vazias. Imprimiu nada menos de 24.000 pequenos panfletos com as letras das músicas. Seu maior orgulho é um hino que ele mesmo criou: "Uh, tererê, Canarinho até morrer!".

"Faz tempo que vemos torcidas latino-americanas fazendo grandes festas em estádios, inclusive calando a torcida brasileira. Por isso, criei um grupo no Facebook com pessoas que eu conhecia que iam ao jogo para a gente se reunir e ensaiar alguns cantos e animar a torcida dentro do estádio", explicou o estudante.

Um dos novos 'hits' é paródia de "Pelados em Santos", dos Mamonas Assassinas, já usada por vários clubes brasileiros.

"Minha camisa amarela, 5 taças na mão, essa Copa é nossa! Vai começar a festa...", diz um trecho da letra.

Provocação argentina

O grupo também se inspira em hinos cantados por torcedores de outras seleções. "Modificamos uma música que os colombianos cantaram: Vamos, vamos brasileiros, que esta Copa, nós temos que ganhar", contou Lucas.

Desde o início do Mundial, brasileiros vêm sendo provocados por torcedores argentinos mais exaltados, que torcem para sua seleção como se fosse um clube.

"Temos algumas músicas para rebater, como :'chora Maradona, você tem menos Copa que Pelé' (Pelé é tricampeão, enquanto Maradona conquistou 'apenas' uma Copa), mas hoje, não vamos cantar, porque não tem argentino. Se a gente provocar os argentinos mesmo quando não estão aí, vão pensar que virou obsessão nossa", justificou Rodrigo.

"Hoje, como vai ser contra Camarões, acho que vai ser bem tranquilo. Queremos responder às provocações dos argentinos, mas não será uma resposta com agressividade, será mais na brincadeira, na camaradagem", concordou Lucas.

Na frente do estádio, já havia torcedores mais empolgados, pulando e cantando os novos hinos, como "dá-lhe, dá-lhe, dá-lhe ôôôô, Brasil vai ser campeão", com empenho para nenhum argentino botar defeito.

"Às vezes, dá até inveja deles. São muito fanáticos, cantam o tempo todo. Queremos mudar a imagem da torcida brasileira e nem pensar em cantar isso de 'sou brasileiro, com muito orgulho e muito amor", resumiu Paulo Oliveira, estudante de 24 anos.

A torcida já está preparada. Agora resta a Neymar e companhia dar um show em campo contra os camaroneses.