Compartilhe este texto

Justiça nega prisão domiciliar e bolsonarista que matou petista irá para presídio

Por Portal do Holanda

04/08/2022 21h17 — em
Brasil


Jorge Guaranho e Marcelo Arruda / Foto: Reprodução / Internet e reprodução / Instagram

A Justiça do Paraná negou um pedido de prisão domiciliar para o policial bolsonarista Jorge Guaranho, acusado de matar o tesoureiro do PT Marcelo Arruda. O homem deverá ser transferido para o Complexo Médico Penal assim que receber alta hospitalar.

 Segundo a decisão do juiz Gustavo Argello, da 3ª Vara Criminal de Foz do Iguaçu, no oeste do Pará, a prisão domiciliar só poderia ser concedida se Guaranho estivesse "extremamente debilitado por motivo de doença grave". O homem deve ter alta nesta sexta (5). 

No dia 9 de julho, Guaranho invadiu a festa de aniversário de Marcelo e matou o homem a tiros. O evento tinha o tema do Partido dos Trabalhadores (PT). Após ser baleada, a vítima revidou e atirou várias vezes contra Jorge, que também foi agredido após cair no chão.

Os advogados do bolsonarista alegaram que ele sofreu perda de memória em decorrência dos golpes e chutes que recebeu na cabeça. Segundo Luciano Santoro, Guaranho levou 24 chutes no rosto e outros no tórax. Com isso, ele ainda não foi ouvido pela polícia. 



O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Brasil

+ Brasil