Jornal diz que Braga Netto fez ameaça contra eleições 2022 por voto impresso; Ele nega

Por Portal do Holanda

22/07/2021 10h18 — em Brasil

Braga Netto - Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

Nesta quinta-feira (22), o ministro da Defesa Braga Netto negou que tenha feito ameaças a fim de condicionar a realização das eleições de 2022 ao voto impresso. 

Segundo a reportagem do jornal 'Estadão', o ministro teria enviado no dia 8 de julho, por meio de um interlocutor, um recado ao presidente da Câmara, Arthur Lira dizendo que se o voto impresso não fosse aprovado, não haveria eleições ano que vem. 

Ainda segundo a publicação, após a declaração, Lira comunicou o assunto ao presidente Jair Bolsonaro afirmando que não aceitaria ameaças. 

"O Ministro da Defesa não se comunica com os presidentes dos poderes por meio de interlocutores. Trata-se de mais uma desinformação que gera instabilidade entre os poderes da República em um momento que exige a união nacional", disse Netto em nota oficial. 

"O Ministério da Defesa reitera que as Forças Armadas atuam e sempre atuarão dentro dos limites previstos na Constituição. A Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira são instituições nacionais, regulares e permanentes, comprometidas com a sociedade, com a estabilidade institucional do País e com a manutenção da democracia e da liberdade do povo brasileiro"

"Acredito que todo cidadão deseja a maior transparência e legitimidade no processo de escolha de seus representantes no Executivo e no Legislativo em todas as instâncias"

"A discussão sobre o voto eletrônico auditável por meio de comprovante impresso é legítima, defendida pelo Governo Federal, e está sendo analisada pelo Parlamento brasileiro, a quem compete decidir sobre o tema", finalizou. 

 

 


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

+ Brasil