Curitiba e Porto Alegre não têm registro de problemas no segundo dia do Enem

Por Estadão Conteúdo / Portal do Holanda

24/01/2021 15h28 — em Brasil

Os problemas registrados na última semana, durante o primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), por causa do excesso de lotação nas salas de aula, fizeram com que os estudantes em Curitiba chegassem mais cedo aos locais de provas. Na PUC, onde alguns estudantes foram impedidos de entrar antes do horário oficial, não foram registrados problemas neste domingo, 24.

Segundo a técnica administrativa Elisabete Kujavski, 43 anos, o próprio filho, Allan Cristian, que deseja ser designer gráfico, fez questão de chegar quase uma hora e meia antes do horário. "O que aconteceu na semana passada impressionou e, dessa vez, chegamos bem cedo para ele garantir um lugar" comentou.

Para a estudante Sara Ladislau Macedo, 18 anos, a questão das salas foi uma preocupação a mais. "Infelizmente, além de nos preocuparmos com os estudos o ano inteiro, tivemos esse problema", avaliou Sara, que vai tentar uma vaga no curso de Psicologia.

Porto Alegre

Em Porto Alegre, o segundo dia de provas do Enem teve movimento bem menor do que no domingo anterior, quando foram aplicadas as primeiras provas.

Também não houve registro de pessoas barradas por superlotação da sala, problema que foi registrado em pelo menos dois locais na capital gaúcha, na PUC-RS e na UniRitter.

Mesmo com os problemas de lotação das salas no primeiro dia de provas, o Inep, órgão responsável pela organização do Enem, não solicitou à PUC mais salas.

A universidade é o local de Porto Alegre que concentra mais candidatos. Eram esperados, neste domingo, 6.781 candidatos, distribuídos em oito prédios, mesmo número do primeiro dia de prova.


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

+ Brasil