Classificação indicativa precisa da autoregulação dos pais

Por Agência Brasil / Portal do Holanda

18/10/2021 21h16 — em Brasil

Foto: Pixabay

O seriado sul-coreano Round 6, da Netflix, se transformou em febre no Brasil. No entanto, gera polêmica porque, apesar da classificação indicativa de 16 anos, ele vem sendo consumido por crianças e adolescentes abaixo dessa idade.

A questão vem sendo debatida por pais e profissionais nas redes sociais. Enquanto uns dizem que crianças e adolescentes não deveriam ver a série, outros afirmam que é difícil impedir que tenham acesso.

Em Round 6, os personagens, todos em condições precárias de vida e endividados, participam de brincadeiras infantis na disputa por dinheiro. Os derrotados são assassinados.

Natali Oliveira, empresária de Muriaé, em Minas Gerais, diz que a repercussão atiçou a curiosidade dela e do filho pequeno, mas, depois de ver o conteúdo, decidiu que ele não iria mais assistir.

Com o acesso facilitado a séries como Round 6 e outras voltadas ao público mais velho, o diálogo entre pais e filhos é importante, segundo a neuropsicóloga Deborah Moss. Ela lembra que crianças podem ter ansiedade, medo e pesadelos e diz que os adultos precisam fazer a autoregulação. A neuropsicóloga também orienta que os pais de adolescentes conheçam o que tem atraído a atenção dos filhos.

A classificação indicativa de seriados é feita pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública para orientar os pais sobre o conteúdo a que os filhos terão acesso. No primeiro trimestre deste ano foram analisadas 87 obras de plataformas de streaming, como o Netflix, 43% a mais que no mesmo período de 2020.


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

+ Brasil