Compartilhe este texto

Bolsonaro volta a defender Milton Ribeiro e diz que seus ministros não 'erram'

Por Portal do Holanda

27/06/2022 8h35 — em
Brasil


Na semana passada o discurso era outro - Foto: Divulgação PR

Depois de dizer que se o ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, errou deveria pagar por isso, Bolsonaro voltou atrás mais uma vez e declarou acreditar piamente na inocência do aliado.

Bolsonaro disse ainda que sua gestão é isenta de corrupção e que até hoje, seus ministros nunca “erraram”.

“Eles vão tentar descobrir algo que por ventura você tenha feito de errado aqui no ministério, e o que eu sei, até o momento, nenhum ministro meu errou, até porque temos mecanismos de filtros em ministérios que impedem a corrupção, não por parte de ministros, que muitas vezes o ministro não tem como coordenar, saber tudo o que acontece no ministério”, afirmou durante entrevista ao Programa 4 por 4.

Sobre Ribeiro, o presidente defende que não há “indícios mínimos de corrupção” no MEC e que o ex-ministro está injustiçado. Para ele, as acusações contra o a gestão de Milton é uma forma de atingir o Governo.

Bolsonaro declarou ainda que todos os ministérios são “vigiados 24h por dia” e que confia em sua equipe. Quando questionado sobre as movimentações atípicas nas contas de Ribeiro, o presidente disse que tudo foi devidamente comprovado.

“Até a questão do dinheiro depositado na conta da esposa dele ou da filha. Foi comprovado que era produto de uma venda de um carro. Eu, quando assumi a Presidência, também tinha três carros e vendi todos, e chegou na minha conta 30, 40, 50 mil reais. É uma movimentação atípica. Qualquer depósito acima de 10 mil é atípico. Mas não justificava o que fizeram com o Milton”.


 



O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Brasil

+ Brasil