Bastidores da Política - Senado se curva a Bolsonaro. Wilson Lima na mira da CPI da Covid 19


Senado se curva a Bolsonaro. Wilson Lima na mira da CPI da Covid 19

Por RAIMUNDO DE HOLANDA

13/04/2021 19h58 — em Bastidores da Política

  • Sob o pretexto de investigar os recursos federais repassados aos Estados e Municípios para combater a Covid 19, governadores e prefeitos estarão na lupa dos senadores bolsonaristas, encarregados de blindar o presidente e o ex-ministro Pazuello. Vai sobrar para o governador Wilson Lima, do Amazonas, que já responde a um processo por compra superfaturada de respiradores…

O Senado Federal se curvou a Bolsonaro e oficializou a instalação da  CPI da Pandemia, que não só atenderá aos interesses do presidente, mas se prestará ao papel de desviar o foco que sempre esteve no Planalto, no negacionismo de Bolsonaro. Pior, colocará os governadores e prefeitos  - ou a maioria deles - na condição de investigados.

Bolsonaro mandou a roda girar e o senador Girão (Eduardo Girão), do Podemos do Ceará. Fez o trabalho, alterando a proposta original da CPI, que era a de investigar o papel do governo federal na crise sanitária pela qual o Brasil atravessa.

Agora, sob o pretexto de investigar os recursos federais repassados a Estados e Municípios para combater a Covid 19, governadores e prefeitos estarão na lupa dos senadores bolsonaristas, encarregados de blindar o presidente e o ex-ministro Pazuello.

Vai sobrar para o governador Wilson Lima, do Amazonas, que já estava na mira do senador Randolfe Rodrigues (Rede- AP), decidido a apurar o colapso de exigênio no Amazonas, as mortes por asfixia - que o ministro Pazuello joga a culpa para cima do governador, que não teria feito o alerta sobre a falta do produto em tempo hábil.

Wilson será um dos primeiros convocados após a instalação da CPI. Foi Randolfe  que declarou recentemente que Lima será chamado. São palavras do senador: “Ou ele (Wilson Lima) confessa a sua responsabilidade pela falta de oxigênio em Manaus ou admite que a culpa é do ex-ministro Pazuello”.

O risco de toda a culpa pela tragédia de Manaus cair no colo do governador do Amazonas é grande.

Bolsonaro colocou sua tropa  para atuar de forma intensa. A ordem é encontrar culpados pela carnificina de Manaus e do resto do País.

O Senado parece disposto a assumir esse papel, de reescrever uma história da qual, seja qual for o esforço que os senadores bolsonaristas façam, será impossível  retirar o protagonismo do presidente dessa tragédia humanitária.

Raimundo de Holanda é jornalista de Manaus. Passou pelo "O Jornal", "Jornal do Commercio", "A Notícia", "O Estado do Amazonas" e outros veículos de comunicação do Amazonas. Foi correspondente substituto do "Jornal do Brasil" em meados dos anos 80. Atualmente escreve a coluna Bastidores no Portal que leva seu nome.