Bastidores da Política - O garoto que enganou o eleitor em 2018 e a hora de dar o  troco


O garoto que enganou o eleitor em 2018 e a hora de dar o troco

Por RAIMUNDO DE HOLANDA

28/11/2020 0h02 — em Bastidores da Política

  • Agora o eleitor está sendo chamado a escolher o comandante da cidade. As opções são as mesmas ou quase as mesmas de 2018. A história dos candidatos, também.

Há dois anos um garoto apareceu dizendo: "vote em mim, resolvo todas as broncas e não tenho  o rabo preso com ninguém". A aposta era de risco, mas o eleitor quis mudar.  Logo percebeu que o candidato que transformou em governador era uma farsa, uma máquina de criar problemas e que o rabo dele estava comprometido. Veio a pandemia e o escândalo dos respiradores. Somente em Manaus 3,2 mil pessoas morreram,  a maioria vítima da falta de estrutura na rede hospitalar. Quem votou nele amarga uma decepção incurável, quem votou em branco ou anulou o voto mudou a história daquela eleição. Pioramos.

Agora o eleitor está sendo chamado a escolher o comandante da cidade. As opções  são as mesmas, ou quase as mesmas de 2018  A história dos candidatos, também.  De um lado Amazonino, com seu  histórico de realizações, com seu legado, com sua inteligência  e com a sua experiência. De outro, um candidato se dizendo “sem amarras”, “sem rabo preso”, fugindo dos debates, repetindo o discurso do menino Wilson Lima.

Você, eleitor, não pode nem errar, nem se omitir, nem anular o voto. O futuro da cidade, quem sabe de seus filhos, depende de você. Se você errar,  o seu mundo, o mundo de seus filhos ou de seus avós poderá desabar.

Domingo, vote pelos seus filhos que ainda não podem escolher,  vote pela cidade na qual  você  vive e trabalha.