Bastidores da Política - No canto do ringue, sangrando, Bolsonaro tenta jogar plateia contra o juiz e ganhar a luta


No canto do ringue, sangrando, Bolsonaro tenta jogar plateia contra o juiz e ganhar a luta

Por RAIMUNDO DE HOLANDA

04/06/2021 19h52 — em Bastidores da Política

Colocado no canto do ringue e submetido a fortes  golpes,  a maioria desferidos pela CPI da Covid, o presidente Bolsonaro infringe as regras do jogo, tenta comprometer o juiz e convencer a pleiteia de que ganhou a luta, expondo uma trapaça que começa com a tese esdrúxula de que ele mandou dinheiro e os outros roubaram, quando o foco da CPI é a sua responsabilização, sua omissão ao não comprar vacina, apesar das ofertas dos laboratórios ano passado, e seu desprezo pela vida de 500 mil brasileiros que a epidemia ceifou em poucos meses.

Na prática, o que se vê é um presidente provocador, incitador das massas, que tenta fazer sua revolução em nome de um projeto de poder que parece agora irremediavelmente ameaçado.

A CPI não pode aceitar  essa  provocação, não deve bater boca, não se ater a mesquinharia do presidente. Fazer seu trabalho com altivez, mostrando ao país o lado obscuro de um homem  que se não tem parte com o demônio é o próprio demônio.

WILSON LIMA TEM MEDO DA CPI E FAZ GRAÇA NAS REDES SOCIAIS

 

Estimulado pelos arroubos do presidente Bolsonaro, que atacou o presidente da CPI, Omar Aziz, o governador do Amazonas, Wilson Lima, também fez graça nas redes sociais. Disse que seria inquirido na CPI por um senador (Eduardo Braga), que faria uso politico do seu depoimento. Ainda acusou Braga de ser investigado por suposto envolvimento com a JBS.

Quem teria orientado o governador a dizer tamanha besteira ?

Quem o assessora tão mal?

Quem o está empurrando para o abismo ?

Claro, Wilson tem e dever de depor, sem esse medo e tremeliques  que exibiu nos últimos dias.

Permita-me, leitor, me dirigir diretamente a Wilson Lima: Não tem segredo, senhor governador. É só falar a verdade, é só usar de franqueza e pronto.

A CPI não representa para o senhor o fim do mundo. O que os senadores querem saber é que retrato o senhor faz do período crítico da pandemia no Estado do Amazonas.

Onde o senhor, o  seu governo ou governo federal falharam.

Nada o ameaça, nem há senador fazendo politicagem. Há busca de indicar responsáveis pelas milhares  de mortes no Estado que o senhor governa, algumas em situação terrível, como as que ocorreram  por asfixia.

O senhor não tem nada a perder. O senhor já perdeu tudo, governador.

Raimundo de Holanda é jornalista de Manaus. Passou pelo "O Jornal", "Jornal do Commercio", "A Notícia", "O Estado do Amazonas" e outros veículos de comunicação do Amazonas. Foi correspondente substituto do "Jornal do Brasil" em meados dos anos 80. Atualmente escreve a coluna Bastidores no Portal que leva seu nome.