Bastidores da Política - No Amazonas, a morte pede passagem. E todos deixam passar...


No Amazonas, a morte pede passagem. E todos deixam passar...

Por RAIMUNDO DE HOLANDA

14/12/2020 21h48 — em Bastidores da Política

  • Não é um coma, mas é um estado de perda de consciência coletiva essa falta de compreensão das pessoas com o perigo que as rodeia

Nos últimos oito dias mais 61 pessoas morreram por Covid no Amazonas e outras  4.611  foram infectadas. Os mortos agora são 5.011 desde o inicio da pandemia. Mas pouca gente se importa com isso, pouca gente reage ou cobra mais ações dos governos.
Não é um coma, mas é um estado de perda de consciência coletiva essa falta de compreensão das pessoas com o perigo que as rodeia.  É como se tivessem se transportado para  um mundo paralelo, onde a morte pode ser chorada, mas tem que ser compreendida, como se a dor passasse  rapidamente, e não passa. 
São tantas as perdas, mas a maior delas é a do cuidado com o outro, que deixou de existir;  a preservação da vida a qualquer custo que sempre foi o modo de sobrevivência da espécie humana, que está desaparecendo.