Bastidores da Política - Governador do Amazonas dá 'a melhor notícia do dia'


Governador do Amazonas dá 'a melhor notícia do dia'

Por RAIMUNDO DE HOLANDA

09/05/2021 19h56 — em Bastidores da Política

Neste domingo, Dia das Mães, uma notícia boa traria um pouco de esperança - desde que fosse checada  e, só então, divulgada. Cedo da manhã, o governador Wilson Lima anunciou a boa nova. Nenhuma morte por Covid 19 no interior do Estado do Amazonas. O anúncio, apressado, pode ser desconstruído nesta segunda-feira.

Primeiro, porque as prefeituras, que controlam esses dados, não funcionam nos domingos e feriados. 

Segundo, porque a informação fornecida  pelo governador não tem fonte - ele  não  diz quem informou, até porque o boletim divulgado pela Vigilância Sanitária no final da tarde se refere ainda aos óbitos de sábado, um dos quais em Tefé, no interior do Amazonas. 

Terceiro, porque até a própria  FVS tem seu boletim colocado sob suspeita. O que diz: “Foram confirmados quatro óbitos, sendo dois ocorridos dia 08/05 e dois encerrados por critérios clínicos".

O mesmo boletim traz dados dos enterros em Manaus, no sábado: sete sepultamentos por Covid.(Neste domingo foram 3, mas são dados que não constam no boletim). 

A pergunta que fica é de onde saíram os cinco cadáveres a mais enterrados, se os dados da FVS apontam apenas 2 mortes, já que as outras duas ocorreram em dias anteriores, mas só agora identificadas como Covid?

Outra informação que coloca em xeque a “boa nova" do governador - de que neste Dia das Mães não houve nenhuma morte no interior do estado causada pelo Coronavírus - é que  o boletim da Vigilância Sanitária diz que “cinco municípios deixaram de  atualizar o sistema de informação para consolidação de dados: Atalaia do Norte, Maraã, Santa Isabel do Rio Negro e Tonnatins."

O problema dos políticos é essa  necessidade de criar factoides.  Verdade e mentira se misturam de tal forma nos dias atuais que é quase impossível separá-las.  

Raimundo de Holanda é jornalista de Manaus. Passou pelo "O Jornal", "Jornal do Commercio", "A Notícia", "O Estado do Amazonas" e outros veículos de comunicação do Amazonas. Foi correspondente substituto do "Jornal do Brasil" em meados dos anos 80. Atualmente escreve a coluna Bastidores no Portal que leva seu nome.