Hong Sang-soo, na Mostra de SP, explora a arte dos encontros

Por Folha de São Paulo / Portal do Holanda

23/10/2021 15h05 — em Arte e Cultura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Para Hong Sang-soo a vida é, à maneira de Vinicius de Moraes, arte de encontros. A isso ele acrescenta uma arte de desencontros, talvez de encontros desencontrados, como vemos em "A Mulher que Fugiu", do ano passado, e "Encontros", deste ano.

Digamos que, em ambos, as ideias permanecem, mas se radicalizam. O primeiro desenvolve uma vasta digressão em torno de Gam-hee, papel de Kim Min-hee, que faz algumas visitas a amigas durante a ausência do marido.

Galeria Veja imagens de 'A Mulher que Fugiu', dirigido por Hong San-soo Filme da Coreia do Sul é exibido na Mostra de São Paulo https://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/1714421796269744-veja-imagens-de-a-mulher-que-fugiu-dirigido-por-hong-san-soo *** É a primeira vez que se separam, garante, pois o marido entende que pessoas apaixonadas devem estar sempre juntas, mas desta vez a viagem é rápida. A conversa não gira em torno de temas pessoais, mas de arquitetura, paisagem, cozinha. A discussão da amiga com um vizinho em torno dos gatos que alimentam parece parte substancial da história.

Nada disso impede a amiga de perguntar se ela ama o marido. Ela responderá que sim, um pouco a cada dia.

Uma coisa chama atenção de modo especial durante a deriva da moça --a maneira como Gam-hee deixa os lugares que visita, sempre só e vista de costas.

É como a veremos. Talvez seja a imagem de que lembraremos daqui a muito tempo, a da moça caminhando no clima invernal, de costas, um quê incerto no passo.

O resto será, em boa medida, arte do acaso. Por que Gam-hee vai ao cinema em determinado dia? Por que a esse cinema? É impossível determinar, e é melhor que seja assim. Mas são momentos como esse que nos permitem descobrir um outro fator implicado em tudo isso, o de que as pessoas mentem. Não necessariamente por interesse, já que nem sempre têm consciência do que fazem.

Os vazios inquietantes produzidos pelo filme aos poucos nos levam a perceber que a mentira, ou seja, às vezes esse pequeno descompasso entre o que acontece e aquilo em que Gam-hee acredita, é o que mais determina as coincidências estranhas que se produzem.

Aos poucos notamos, aliás, que esse descompasso entre aquilo em que acreditamos e o que de fato é existe na vida de todos. Que a mentira é uma espécie de segunda natureza do homem, assim como os encontros inesperados.

"Encontros" é justamente o título brasileiro do segundo filme do diretor coreano na Mostra de São Paulo e parece bem mais enigmático, como se Hong talvez estivesse buscando novos caminhos.

Galeria Veja imagens de 'Encontros', dirigido por Hong Sang-soo Filme da Coreia do Sul é exibido na Mostra de São Paulo https://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/1714422055060709-veja-imagens-de-encontros-dirigido-por-hong-sang-soo *** A deriva aqui é mais longa e misteriosa. Ela decide estudar moda em Berlim, mas nem bem chegou e já é surpreendida pela presença do namorado, que viajou de Seul só para vê-la. Nem é o primeiro encontro do filme, mas é preciso admitir que o gesto do rapaz é radical.

Mais tarde o encontraremos na praia junto a um hotel à margem do rio, como diz o nome do filme que Hong fez 2018. Não é o único sinal de continuidade. Mas o que significa isso para o diretor e para o filme? Novamente, estamos mergulhados em gestos e encontros cotidianos que pouco significam ou parecem significar.

O jovem namorado vai ao encontro de seu pai, um médico acupunturista, mas o encontro é frustrado, seja pelas obrigações profissionais do pai, seja por fatos que o atravessam e não sabemos bem quais são.

Logo na abertura, por exemplo, o médico parece fazer uma oração em que promete um monte a Deus desde que tenha outra chance. Mas chance do quê? Não sabemos.

O encontro dos jovens namorados se fecha com um fade-out prolongado. É bom que seja prolongado, pois na cena seguinte muito tempo se passou. Agora, vemos a mãe do menino numa refeição com o mesmo homem que visitou o pai na primeira sequência do filme.

Agora, descobrimos que ele é um famoso ator. Que, naquele dia, o jovem disse que, por ser muito bonito, deveria se tornar ator. Também é possível perceber que existe uma relação com a mãe do rapaz, que pode de amizade ou amorosa.

Em outras palavras, tudo que é importante em "Encontros" é o que está fora de campo. Extracampo, no jargão. O título em inglês seria algo como "Apresentações", que pode ser mais exato, mas não faz sentido em português.

Entre outras, o que tem sido a vida do jovem desde seu encontro com a namorada em Berlim. Agora, ele vai ao encontro da mãe e abandona a carreira de ator, pois se sentiu desconfortável por ter que beijar em cena outra moça que não sua namorada.

Todos acham isso um tanto absurdo. Ele sai e vai até a praia. Lá, acontece um estranho reencontro com a namorada, que não via há muito tempo. Mas tudo leva a crer que é apenas um sonho ou imaginação.

Da cena inicial do pai ao encontro na praia, tudo afirma a incerteza dos destinos, sobre os quais nada saberemos, pois nem os personagens sabem, já que parecem não saber exatamente quem são.

A beleza de "Encontros" não deixa de ser um tanto incômoda, como quando somos apresentados a alguém e não sabemos o que pode acontecer depois, pois não conhecemos essa pessoa.

Se em "A Mulher que Fugiu" a deriva da personagem nos leva a adivinhar quem é, em "Encontros" o diretor deixa o essencial da alma de seus personagens em extracampo. Ele os mostra para melhor ocultá-los. Parece seguir por um outro, oblíquo e um tanto desconcertante caminho, mas não desinteressante.

A MULHER QUE FUGIU

Quando: Próximas sessões presenciais: Espaço Itaú de Cinema Pompeia, terça-feira (26), às 19h; Espaço Itaú de Cinema: Frei Caneca, quinta-feira (28), às 16h; Cinesesc, sexta-feira (30), às 14h; Cinesala, quarta-feira (3), às 18h50.

Elenco: Kim Min-hee, Seo Young-hwa, Song Seon-mi, Kim Sae-byuk, Lee Eun-mi, Kwon Hae-hyo

Produção: Coreia do Sul, 2020

Direção: Hong Sang-soo

Avaliação: Ótimo

ENCONTROS

Quando: Próximas sessões presenciais: Cine Marquise, sábado (23), às 19h; Petra Belas Artes, sexta-feira (29), às 13h30; Espaço Itaú de Cinema Frei Caneca, sábado (30), às 14h; Cinesala, domingo (31), às 22h15.

Elenco: Shin Seok-ho, Park Mi-so, Kim Young-ho, Ki Joo-bong, Seo Young-hwa, Kim Min-hee

Produção: Coreia do Sul, 2021

Direção: Hong Sang-soo

Avaliação: Muito bom

Link: https://45.mostra.org/filmes/encontros

Link: https://45.mostra.org/filmes/a-mulher-que-fugiu


O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

+ Arte e Cultura