PSC anuncia apoio a pré-candidatura de José Melo

Por

17/06/2014 19h56 — em Amazonas

O Partido Social Cristão (PSC) declara nesta quarta-feira, dia 18 de junho, apoio à pré-candidatura do governador do Amazonas, José Melo (Pros), a reeleição para o Governo do Estado. O anúncio será feito pelo Pastor Everaldo Pereira, pré-candidato do PSC à Presidência da República, com a presença do presidente do partido no Amazonas, deputado Francisco Souza, e todas as lideranças da sigla em encontro que ocorrerá a partir das 10hs no hotel Caeser Business, localizado na Avenida Darcy Vargas, 654, bairro da Chapada, zona centro-sul de Manaus.

 

Para José Melo, a aliança com o PSC fortalece a base da pré-candidatura, que já conta com adesão oficial do Partido Social Democrático (PSD), do ex-governador Omar Aziz, do Democratas, do deputado Pauderney Avelino, e do Partido Republicano Progressista (PRP). A articulação com outros partidos continua e, de acordo com Melo, até sexta-feira (20), a base de apoio será ampliada.

 

“Estamos trabalhando nesse sentido. Tem outra bela surpresa que vai acontecer. Estamos conversando com muitos partidos, muitas lideranças partidárias não só em Manaus, como com a presidência dos partidos em Brasília. Estamos tratando dessas coisas, articulando, para poder sexta-feira termos o leque de partidos que vão nos apoiar olhando o dia 28 de junho, que é o dia da nossa convenção”, ressaltou José Melo.

 

O governador afirmou ainda que não há um nome definido para a vaga de vice-governador e que a decisão será fruto de um consenso entre os partidos da base de apoio. “Eu disse que o Omar (Aziz) indicaria o meu vice ou minha vice e ele gentilmente disse que a articulação seria de todos os que estiverem no nosso arco de aliança. Portanto, estamos tratando a indicação do vice nesse formato. Com todos os companheiros e companheiras para trazer um vice que possa ser uma pessoa que some no governo, tornando a vida do governador mais fácil. Uma pessoa que tenha conteúdo técnico para ajudar no governo e envergadura política para ajudar na eleição”, enfatizou.

 

A pré-candidatura de José Melo tem apoio majoritário das lideranças políticas do interior do Amazonas. Prefeitos de 57 dos 61 municípios e mais de 500 lideranças políticas, de vários partidos, entre ex-prefeitos, vice-prefeitos e ex-vice-prefeitos de cidades do interior manifestaram adesão à pré-candidatura de José Melo.

 

Outro apoio importante é a das lideranças evangélicas. Mais de cinco mil líderes de várias denominações de igrejas, da Ordem dos Ministros Evangélicos do Amazonas (Omeam), manifestaram apoio à pré-candidatura de José Melo. A União Sindical, que representa mais de 27 entidades com mais de 200 mil inscritos, entre as categorias de trabalhadores rurais, aeroviários e domésticas, também assinaram moção apoiando a pré-candidatura do professor José Melo.

 

Encontro com a presidente Dilma Rousseff – Na segunda-feira, dia 16 de junho, o governador José Melo esteve em Brasília, pela manhã, para acompanhar a reunião da cúpula do seu partido com a presidente Dilma Rousseff. O encontro contou com a presença do presidente Nacional do Pros, Eurípedes Junior, e do governador do Ceará, Cid Gomes. Na ocasião, José Melo solicitou a presidente a liberação de recursos para o Amazonas para as áreas de saúde, infraestrutura, educação e segurança que estão pendentes e que dependem do empenho do governo federal.

 

“Estive com a presidente Dilma (Rousseff) para acompanhar a presidência do partido e aproveitei para tratar da liberação de recursos que estão pendentes. Entre eles, os recursos do Proinfra, para as estradas vicinais, asfaltamentos de cidades, aqui em Manaus também. Além de recursos que vão para hospitais, escolas, enfim, recursos importantes para o Amazonas. Fui tratar também do Prosamim dos igarapés da Sharp, São Sebastião e Manaus e de recursos de US$ 216 milhões para a saúde e segurança”, frisou.

 

Segundo José Melo, a presidente Dilma Rousseff se comprometeu em buscar uma solução para dar celeridade aos trâmites para a liberação dos recursos ainda esta semana com o encaminhamento das propostas ao Senado. “Como no Senado a presidente tem ampla maioria, teoricamente, ela tem capacidade de resolver”, disse.