Professores dão dicas para candidatos vencerem a ansiedade e evitarem erros comuns no Enem

Por Portal do Holanda

04/11/2014 16h14 — em Amazonas

Faltando poucos dias para a aplicação das provas do Exame Nacional do Ensino Médio que ocorrem no próximo sábado, 8, e domingo, 9, não faltam recomendações para os candidatos se manterem preparados nessa reta final. No Amazonas, 184.864 candidatos estão aptos a prestarem o exame.

Para não deixar a ansiedade e a preocupação atrapalharem os estudantes, especialistas recomendam cuidados que vão desde aos horários das atividades de estudo até a alimentação. Um das primeiras dicas dadas pelo professor de Biologia, Davyson Jardim, da Gerência de Ensino Médio da Secretaria de Estado de Educação, é sobre a quantidade de tempo destina ao estudo. Ele alerta que é preciso dividir bem o tempo dos estudos nessa semana para evitar o cansaço.

“É comum que nesse período os candidatos queiram pesquisar vários assuntos ao mesmo tempo. Isso é um erro, pois acabam não relembrando nada”, destacou.

Para Davyson, o momento é propício apenas para as revisões de conteúdos. “Não é o momento de aprender porque não há mais tempo”, ressalta. Ele dá uma dica importante que pode ajudar os alunos nessa fase que antecede as provas. “Indico um exercício que ajuda muitos os alunos. Pense em um assunto que você já estudou e tente lembrar-se do mesmo. Se não lembrar é um sinal de que você precisa revisar o conteúdo”, explica.

As revisões, segundo Davyson, devem ser dinâmicas. Ele lembra ainda que não é aconselhável que o aluno troque as noites de sono para tentar estudar. “Dormir bem descansa e isso vai refletir lá na frente, no dia da prova”, pontua.

As provas do Enem são divididas em dois dias e são consideradas longas com duração de quatro a cinco horas. De acordo com Davyson, longas horas de estudo nessa reta final podem ser cansativas e prejudicar o desempenho nas provas.

Redação - O Enem é composto por quatro provas objetivas, com 45 questões de múltipla escolha cada, e uma redação.

No primeiro dia, sábado, são aplicadas as provas de Ciências Humanas e suas Tecnologias e Ciências da Natureza e suas Tecnologias com duração de quatro horas e meia (4h30min). No domingo, a maratona tem provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias com duração de cinco horas e meia (5h30min).

Davyson explica que o segundo dia tem uma duração maior por conta da prova de Redação que também é aplicada nesse dia.

Sobre a Redação, um dos itens que mais tira o sono dos alunos, Davyson lembra que o mais importante é saber seguir a estruturar o texto e estar preparado para não repetir o texto de apresentação. “Os alunos, na agonia, muitas vezes cometem o erro de repetir o texto de apresentação que vem na prova como forma de suporte. Repetir esse texto é um dos piores erros”, reforça. 

O professor também destaca que não há como prever o tema da redação, no entanto, fazer uma lista dos temas mais atuais é a melhor opção. A dica, nesse caso, é que os estudantes testem seus argumentos sobre os temas escolhidos conversando com outras pessoas e até projetando como passaria suas ideias para o papel.

“É importante também fazer a transcrição desse texto levando em conta o tempo. No dia da prova o aluno tem, em média, uma hora para fazer a redação. E ele precisa levar em consideração a escrita no borrão, a leitura preliminar do texto para resolver possíveis erros ou melhorar os argumentos e, ainda, a transcrição do texto final para o cartão de resposta destinado para a redação”, pontua.   

Alimentação - Além de evitar excessos com os estudos a fim de preservar a disposição, os candidatos também precisam tomar cuidados com a alimentação. É recomendável evitar comidas que ofereçam risco ao bem-estar tanto na véspera da prova quanto durante a semana.

“É a alimentação que vai ajudar a dar o tom da disposição do aluno. Bem alimentado ele vai ter energia para aguentar as provas, caso contrário pode ter dificuldades de resistir às 6 horas que fica envolvido com o processo da prova”, ressaltou Davyson.

Levar alimentos leves como uma fruta ou uma barra de cereal no dia da prova é outra dica do professor. Ele acentua que o processo de leitura, interpretação, raciocínio e análise do texto são cansativos e podem levar ao desgaste físico quando o candidato não está bem alimentado. Por isso, fazer um lanche leve antes da prova e no meio do processo é recomendável, segundo Davyson.