Para José Melo, os melhores legados da Copa ficarão para a Segurança e Turismo

Por

11/06/2014 17h45 — em Amazonas

As áreas de Segurança Pública e Turismo serão as principais heranças da Copa do Mundo FIFA 2014 para a cidade de Manaus e o Estado do Amazonas, na opinião do governador do Estado, José Melo. “Vamos ter uma herança fantástica em relação à Segurança Pública. Não teríamos outra chance de ter todo o aparato de equipamentos modernos. O Amazonas ainda poderá se transformar em um grande destino do turismo de selva e ecológico com os jogos importantes que teremos aqui, a exemplo de Inglaterra x Itália, que nos trarão visibilidade. O mundo vai ter conhecimento do Amazonas, um estado com 98% de floresta preservada e ambientalmente rico”, disse José Melo, ao responder a jornalistas em entrevista coletiva sobre  as expectativas em relação aos jogos.

 

A entrevista, concedida ao lado do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, na manhã desta quarta-feira, dia 11 de junho, um dia antes da abertura do mundial de futebol e faltando três dias para o primeiro jogo em Manaus, aconteceu na Sala de Coletiva de Imprensa da Arena da Amazônia. Na ocasião, os dois governantes fizeram um panorama sobre a preparação da cidade para o evento e responderam aos questionamentos dos jornalistas que estão na cidade para cobrir a Copa.

Ainda falando de segurança, para responder a questionamento sobre a integridade de países que combatem o terrorismo, como Estados Unidos e Inglaterra, que jogarão em Manaus, o governador ressaltou o fato de que, além de investimento pesado feito na área, todo o esquema de segurança preparado para a Copa conta com o envolvimento das forças armadas, polícia federal e demais forças policiais, além de ter contado com a participação desses países.

 

“Os países dessas seleções também colaboraram conosco nesse sentido. Tenho certeza que vai funcionar da forma que foi planejado e concebido”, disse o governador. Os investimentos em segurança para a Copa do Mundo ultrapassam R$ 100 milhões. Destacam-se as novas estruturas para a área de segurança, como o Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICC-R), que recebeu maior volume de investimentos, da ordem de R$ 68 milhões, entre obras e equipamentos; os Centros de Comando e Controle Móvel, a Plataforma de Observação Elevada e a Delegacia Móvel. O efetivo envolvido terá 5 mil servidores de órgãos de segurança das esferas federal, estadual e municipal.

Mobilidade – Ao ser questionado sobre manifestações que possam ocorrer, José Melo disse que faz parte do processo democrático e que tem dialogado e está aberto a conversar com todas as categorias de servidores públicos sobre suas reivindicações. O governador também respondeu a questionamentos sobre mobilidade urbana. Disse que o monotrilho não saiu por problemas na licitação e que o recurso estará disponível para que um novo projeto seja concebido para a cidade de Manaus.

 

“A licitação foi concebida para obra física e tecnológica ao mesmo tempo. O Ministério Público Federal (MPF) discordou, criou-se uma celeuma que impediu que começássemos a obra. Mas não perdemos o recurso, que saiu do PAC da Copa para o PAC Mobilidade. Estamos conversando com a Prefeitura sobre uma solução que seja a melhor possível para a mobilidade urbana da cidade de Manaus”, esclareceu.

Melo também falou que o Estado está aguardando o resultado de um estudo feito com a empresa canadense Ernest Young que mostrará qual será a melhor destinação da arena no pós-Copa, referindo-se à forma de gestão do estádio.

Ao responder a jornalistas ingleses sobre a expectativa para o primeiro jogo em Manaus entre Inglaterra x Itália, considerada por Melo como o mais importante da primeira fase da Copa, o governador disse que será uma partida equilibrada do ponto de vista técnico e arriscou um placar com poucos gols – 1 a 1 ou 1 a 0, sem citar para quem o placar será favorável. “A FIFA não conseguiu credenciar a quantidade de jornalistas que queriam cobrir, porque vai ser o jogo mais importante da Copa, por reunir as duas seleções que juntas têm cinco títulos mundiais”.

 

Geração de empregos – Ao fazer um balaço geral, o governador disse que todos os compromissos possíveis para a realização do mundial foram cumpridos e destacou a quantidade de empregos gerados com a Copa – cerca de 16 mil empregos diretos somente nas obras. Melo disse que 26 mil pessoas passaram por cursos de treinamentos e que 997 atividades culturais serão realizadas no período do mundial na cidade.