Siga o Portal do Holanda

Amazonas

​Ministra diz que não vai julgar Graça Figueiredo

Publicado

em

 
A  Corregedora Nacional de Justiça, Ministra Nanci Andrighi, declarou-se suspeita  no caso de representação disciplinar que envolve a atual Presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas, Desembargadora Graça Figueiredo. Em seu despacho, a Corregedora alegou ser assessorada pelo marido de Graça Figueiredo, o Juiz César Bandiera.
 
Advogados consultados pelo Portal do Holanda disseram que a decisão surpreendeu, porque, segundo eles  no início de junho deste ano, logo após a ação ter sido protocolada no CNJ, a ministra instruiu e despachou o procedimento sem lembrar  que um de seus principais assessores era marido da representada.  
 
 Entenda o caso
No dia 01 de junho deste ano, a Corregedora Nanci Andrighi determinou que o desembargador Flávio Humberto Pascarelli   se manifestasse sobre o interesse em atuar como parte no processo ajuizado pelo advogado Dixmer Vallini Netto contra a presidente do TJAM, desembargadora Maria das Graças Figueiredo.
 
Dixmer Netto ingressou, no dia 22 de maio, com uma representação disciplinar contra a magistrada alegando que, em 2009, ela atuou para prejudicar o desembargador Flávio Pascarelli.
 
 No documento protocolado no CNJ, o advogado narra um caso em que a desembargadora pediu à Secretária Geral do TJAM   que suprimisse de um documento o termo “interinidade”. A supressão dessa palavra no documento resultou no afastamento de Pascarelli do cargo de desembargador suplente do TRE-AM.
  
 

+ Amazonas

Para compartilhar este conteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.

Copyright © 2006-2020 Portal do Holanda.