Compartilhe este texto

IBGE mostra que seca prejudicou produção industrial do Amazonas em 2023

Por Portal Do Holanda

08/12/2023 15h48 — em
Amazonas


Foto: Divulgação/ EBC

Manaus/AM - Mesmo em fase de término, a seca histórica deste ano deixou rastros como na indústria local, quase que totalmente dependente do fluxo logístico dos rios, muitos dos quais estavam e ainda estão sem condições de navegação. De acordo com o Estadão, a indústria amazonense viu sua produção cair 2,6% em outubro ante setembro e recuar outros 5,7% na comparação com outubro de 2022, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

“A seca impõe custos adicionais de logística de transporte para as empresas. Uma das mais afetadas foi a de equipamentos de informática, bastante influente na indústria local”, disse Bernardo Almeida, gerente da pesquisa.

Ele se referia, sobretudo, à produção de eletrônicos na Zona Franca de Manaus. Além da seca, a taxa de juros ainda alta segue como outro limitador, com efeito sobre o parque de todo o País. “A seca gerou, inclusive, um movimento de férias coletivas para acomodar o arrefecimento da produção e não gerar custos adicionais sobre a cadeia produtiva”, completou.

O gerente lembra que a seca prejudica não só o escoamento de produtos, mas, também, a chegada de insumos.

Segundo o pesquisador, a indústria do Pará também é afetada pela seca, mas em proporção bem menor. A produção industrial paraense ainda conseguiu crescer 0,1% em outubro ante setembro, e 8% na comparação com outubro de 2022.

O impacto menor da seca na indústria paraense está ligado ao peso da área extrativa, que tem escoamento relativamente mais fácil. No Estado, o setor extrativo responde por 84,7% da produção total.

 


Siga-nos no
O Portal do Holanda foi fundado em 14 de novembro de 2005. Primeiramente com uma coluna, que levou o nome de seu fundador, o jornalista Raimundo de Holanda. Depois passou para Blog do Holanda e por último Portal do Holanda. Foi um dos primeiros sítios de internet no Estado do Amazonas. É auditado pelo IVC e ComScore.

ASSUNTOS: Amazonas

+ Amazonas