Combate à mototaxi pirata vai ser intensificado e tabela de preços será obrigatória

Por Portal do Holanda

19/11/2014 17h02 — em Amazonas

A Prefeitura de Manaus, por meio da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos, vai intensificar a fiscalização para retirar de circulação os mototaxis piratas, a partir da próxima segunda-feira. Também a partir desta data, será obrigatório o uso da tabela de preços das corridas, por parte dos motaxistas regulamentados. De acordo com as regras já estabelecidas, cada quilômetro rodado custará ao passageiro R$ 1, mais a bandeirada, no valor de R$ 3. 

O anúncio foi feito na manhã desta quarta-feira pelo superintendente da SMTU, Pedro Carvalho, após reunião realizada entre secretários municipais e uma comissão representando os mototaxistas legalizados.

Pela manhã, a categoria fez uma manifestação em frente ao prédio da prefeitura, pedindo a fiscalização e outras reivindicações. O próprio prefeito Arthur Virgílio Neto conversou com as lideranças, por telefone, e encaminhou a reunião com os secretários. Ele garantiu que o poder público vai fazer o necessário para atender às reivindicações dos que já estão legalizados, mas sem esquecer os trabalhadores que estão se legalizando com a abertura da nova licitação. 

Após a reunião, Pedro Carvalho confirmou que as fiscalizações serão intensificadas. “Quem não tem habilitação para dirigir mototaxi, for menor de 21 anos e tiver menos de dois anos de habilitação na categoria A vai ter a moto apreendida. Nós já estávamos fazendo as fiscalizações e temos várias motos que foram apreendidas. Aguardávamos apenas a confirmação de um apoio maior da Polícia Militar, o que foi sinalizado hoje de manhã, então nós vamos aumentar as blitze”, declarou o superintendente da SMTU.

As zonas Norte e Leste serão as primeiras áreas fiscalizadas. A estimativa é que existam mais de 6 mil mototaxis piratas rodando em Manaus. O número de mototaxistas habilitados é de 1679. Uma nova licitação será aberta em janeiro.  

Durante a reunião, o superintendente destacou a fixação no valor da corrida que será cobrada pelos mototaxistas legalizados e a preocupação com a segurança dos passageiros.

“A partir da próxima semana os mototaxis legalizados vão andar com a tabela de preços. Será R$ 1 por cada quilômetro rodado e mais R$ 3 da bandeirada. Com isso, os passageiros vão pagar um valor bem menor do que é praticado hoje. Outro diferencial dos mototaxistas legalizados é que eles possuem um seguro de vida que cobre o trabalhador e também o passageiro, em caso de acidente. Então pedimos que a população dê preferência pra usar apenas os mototaxistas legalizados”, afirmou Pedro.

O aumento da fiscalização e as regras de cobrança das corridas agradaram os mototaxistas. Para eles, a maior preocupação é que com o período de férias coletivas do Distrito Industrial, muitos trabalhadores comecem a oferecer o serviço de mototaxi, provocando prejuízos para a categoria.

“Nós fizemos vários investimentos para que pudéssemos andar de forma legal. Esperamos que o poder público fiscalize e dessa forma retire os piratas das ruas. Sabemos que é um trabalho difícil, mas estamos preocupados com o período de férias coletivas do Distrito Industrial, em dezembro, pois sabemos que muitos desses trabalhadores irão atuar de forma provisória como mototaxi”, concluiu o presidente do Sindicato dos Mototaxistas de Manaus, Anderson Souza.