Artur Neto culpa sindicalistas por greve ilegal de ônibus

Por Portal do Holanda

07/11/2014 17h14 — em Amazonas

Após a paralisação dos rodoviários da empresa Global Green, que deixou mais de 60 mil pessoas da zona Leste sem transporte coletivo na manhã desta sexta-feira, 7, o prefeito de Manaus, Artur Virgílio Neto, declarou em entrevista a uma rádio local que a população não pode mais ser prejudicada por interesses políticos que motivem  ações ilegais. “A paralisação se dá ao arrepio da lei. Não houve assembleia, não houve aviso, nem a deliberação da Justiça”, observou Artur.

O prefeito afirmou surpresa com a notícia, ressaltando que estava tentando tirar três dias para descansar. “Não há como se ausentar numa hora como essa e lidando com um sindicato irresponsável como o que aí está. Eles (os dirigentes do sindicato) querem pressionar o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) a aprovar o dissídio coletivo sem o cuidado que compete ao órgão e acabam penalizando a população com medidas que levam a uma majoração absurda da tarifa”, desabafou.

Artur lembrou ainda do esforço da Prefeitura de Manaus para melhorar a cidade, principalmente no que se refere ao sistema de transporte coletivo. “Nós temos um dos melhores salários de rodoviários do país e temos obtido várias conquistas, mas sempre há qualquer pretexto. Sem avisar a Justiça, eles paralisam o transporte dia sim, dia também”, afirmou, completando que a empresa Global, mesmo com as dificuldades que enfrenta, tem tido seu déficit reduzido em função do Consórcio Operacional criado pela prefeitura.

“Por favor, eu peço que não misturem as coisas e cuidem do trabalho que lhes compete fazer. Não punam a população que não merece esse sofrimento, não merece padecer nesse tipo de revanche política. Então, deixo aqui meu protesto de solidariedade ao povo que deixou de ir trabalhar”, finalizou o prefeito.

Para minimizar os efeitos da paralisação, que durou até o início da tarde, quando foi aprovado o dissídio coletivo da categoria, a Superintendência Municipal de Transportes Coletivos (SMTU) remanejou as linhas 517 e 651 para atender aos moradores da zona Leste.

Fotos: Alex Pazuello