Lappa mistura Samba e Sertanejo neste fim de semana

Por Portal do Holanda

23/07/2015 15h03 — em Agenda Cultural


Para quem gosta de mistura de ritmos, em especial pagode, sertanejo e forró, o Lappa, na Rua Rio Mar, nº 98, bairro Vieiralves, preparou um final de semana com uma programação especial, que promete atrair muita animação e gente bonita, começando nesta sexta-feira (24), que terá a segunda edição do Especial Luan Santana. 

Os ingressos custam R$ 30, mas quem quiser garantir entrada gratuita só ficar de olho na Lista  VIP que rola na página do Lappa no facebook:www.facebook.com/barlappa. Nesta sexta-feira, os fãs do astro sertanejo poderão relembrar os principais sucessos do cantor como "Sogrão Caprichou", "Nega”, e novas canções como "Tudo Que Você Quiser", “Te Esperando” e a musica que dá nome ao álbum, “O Nosso Tempo É Hoje”.  Além do sertanejo, também animam a sexta-feira do Lappa, o cantor Kadu Almeida, Grupo Cacildi's, banda Forró Ideal, e nos intervalos DJ Fernando Araújo, trazendo os melhores sucessos da atualidade.

Para o sócio-proprietário do Lappa, João de Sá, a mistura de ritmos se tornou a cara do Lappa, que ressalta o clima carioca. “Quem conhece, sabe que animação já faz parte do clima bem carioca do Lappa. Gente bonita, atendimento diferenciado, local seguro, se tornaram sinônimo da nossa casa”, disse João de Sá.
 

Lappa 40º leva o clima do samba e pagode carioca com telão para o UFC
 
No sábado (25), o Lappa 40º terá o cantor Uendel Pinheiro e as bandas Cuka Fresca e D’Samba, que comandam a noite ‘quente’ do samba e pagode, com jeito do Rio de Janeiro. Para quem curte o UFC, telões foram colocados para exibir a luta de Dillasshaw e Renan Barão, ao vivo de Chicago. “A noite de sábado do Lappa tem um clima diferente, o astral é de diversão total, alguns dias chega ser indescritível o clima animado e ao mesmo tempo sempre muito sadio”, disse Uendel Pinheiro.

Uendel destacou que seu repertório passa pelos sucessos atuais do Sorriso Maroto, Turma do Pagode, Belo, Raça Negra, e também resgatam aquelas músicas que não saem da cabeça de quem gosta de samba e pagode. “Esse ritmo é meio atemporal. As músicas que fizeram sucesso antigamente, a gente canta e animação se contagia”, destacou o cantor.