×
MENU

Estrangeiros elegem Manaus como a quarta melhor cidade para se viver no Brasil

Foto: Reprodução

Manaus/AM- O levantamento anual feito por uma das maiores empresas de consultoria do mundo, a Mercer, classificou Manaus como uma das 130 melhores cidades para se viver no mundo. Entre as cidades brasileiras, a capital amazonense é a quarta melhor colocada, aparecendo na 127ª posição, atrás apenas da capital federal, Brasília (109ª), Rio de Janeiro (118ª) e São Paulo (121ª). No total, 450 cidades foram consultadas e 231 entraram no ranking, liderado, pelo oitavo ano, pela cidade de Viena, na Áustria.

De modo geral, a consultoria analisa dez categorias, incluindo saúde, educação, política, transporte, recreação e meio ambiente. A relação pacífica de Manaus com os países vizinhos é o item que mais se destaca no levantamento e corrobora para que a cidade figure entre as quatro melhores cidades para se viver no Brasil. A consultoria tem como foco os estrangeiros.

Ao longo dos últimos anos, a Prefeitura de Manaus, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), vem trabalhando para a consolidação de Manaus como destino turístico internacional. O resultado é o crescimento no fluxo de turistas, principalmente por conta das atividades desenvolvidas para a projeção da cidade como sede de grandes eventos na Região Norte do País. Entre elas, os jogos da Copa do Mundo, Rota da Tocha, Olimpíadas e o Amazônia Live, evento do Rock in Rio realizado no Rio Negro e transmitido ao vivo para todo o mundo.

Além disso, recentes pesquisas revelam que Manaus figura entre os dez destinos mais procurados pelos estrangeiros no País. Exemplificando na prática, podemos citar a Temporada de Cruzeiros que vem registrando um aumento contínuo do fluxo de turistas: 15 mil (2014/2015); 17 mil (2015/2016) e  24 mil (2016/2017). Iniciada em novembro de 2016, esta temporada vai até junho de 2017 e vai receber, em sua maioria, turistas dos Estados Unidos, Inglaterra e Canadá. A temporada deve movimentar aproximadamente R$ 45 milhões em diversos setores da economia local.