Siga o Portal do Holanda

Economia

Oposição critica reunião para apresentar mudanças na Previdência e diz que obstruirá votação

Publicado

em

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Líderes partidários da oposição criticaram a reunião realizada por partidos favoráveis à reforma da Previdência para a imprensa nesta quarta-feira (12) e anunciaram que obstruirão a votação na comissão. 

"Foi anunciado uma data de votação que não existe. Nós não vamos votar nesta data, em 25 de junho", afirmou a líder da minoria na Câmara, Jandira Feghali (PC do B-RJ). 

O relatório deve ser apresentado oficialmente nesta quinta-feira (13) na comissão especial.  

Havia a expectativa de que a oposição não usasse instrumentos regimentais para atrapalhar o andamento da votação, já que foi firmado acordo de procedimentos para que todos os deputados inscritos possam debater, sem que o governo apresente um requerimento de encerramento de discussão. Com o anúncio de obstrução, é possível que os termos sejam revistos.

Parlamentares do PT, PC do B, PSOL e PDT entraram na reunião que estava sendo conduzida pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e pelo líder da maioria, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) e disseram ter sido surpreendidos. 

"Quem não participou desse acordo vai poder ter a palavra também?", questionou o líder do PDT, André Figueiredo (CE), antes da fala do relator. 

"A casa não tem o centro e o governo apenas", afirmou Feghali. 

Os deputados questionaram a presença de Maia e do presidente da comissão, Marcelo Ramos (PL-AM), e disseram que o relator, Samuel Moreira (PSDB-SP), havia evitado discutir pontos do relatório com os oposicionistas. 

A presença dos deputados iniciou um bate-boca na reunião. "Abaixe o dedo você", disse para Sâmia Bonfim (PSOL-SP) o deputado Daniel Coelho (Cidadania-PE). 

"É uma vergonha o que aconteceu, nós estamos em protesto na reunião e nós vamos obstruir", afirmou a líder da minoria depois do encontro. 

Os líderes do centrão argumentam que a reunião se tratava de um encontro dos partidos que assinaram carta em março apoiando a reforma desde que as mudanças na aposentadoria rural e no BPC (benefício pago a idosos miseráveis) fossem retirados. 

Na prática, Moreira anunciou algumas das principais mudanças feitas em seu relatório, como a alteração de idade mínima de professoras para 57 anos. 

O presidente da comissão se defendeu das críticas afirmando ter participado de reunião com membros da oposição separadamente. "Eles não estranharam a minha presença lá, como não há motivos para estranhar agora", afirmou.

David Almeida culpa amigos por contrato superfaturado

Para compartilhar esteconteúdo, utilize o link ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Portal do Holanda estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral.


Copyright © 2006-2019 Portal do Holanda.